Médico que examinou Gugu diz que nada poderia ter sido feito diferente

Neurocirurgião Guilherme Lepski foi aos Estados Unidos a pedido da família do apresentador e afirmou que atendimento local foi "impecável"

Gugu morreu na sexta-feira (22)

Gugu morreu na sexta-feira (22)

Antonio Chahestian/Record TV

O neurocirurgião Guilherme Lepski, que foi a Orlando, nos Estados Unidos para examinar Gugu Liberato, afirmou, em entrevista à Record TV, que nada poderia ter sido feito diferente no atendimento do apresentador. 

Filho de Gugu faz homenagem ao pai: ‘Era meu herói e inspirador’

O médico afirmou que foi chamado para dar uma segunda opinião sobre o quadro de saúde do apresentador e que não há o que reclamar sobre o atendimento que Gugu recebeu no Orlando Health Medical Center, que foi "impecável". 

"Do ponto de vista técnico, eu examinando com cuidado os exames, a evolução, a documentação que me foi disponibilizada, eu tendo examinado com intermédio dos profissionais que estavam cuidando dele, eu posso concluir com segurança que não havia o que pudesse ter sido feito diferentemente", disse Lepski. 

Segundo o médico, a evolução do quadro de Gugu foi "muito rápida, surpreendente e inimaginável". "Muitas vezes o processo de doença e óbito acaba acontecendo tão rápido, como foi o caso do Gugu, que deixa toda a família e as pessoas a volta estupefadas, atordoadas", disse. 

Gugu morreu na sexta-feira (22), aos 60 anos. O apresentador sofreu uma queda acidental de uma altura de cerca de quatro metros quando fazia um reparo no ar condicionado instalado no sótão em sua casa em Orlando. Foi prontamente socorrido pela equipe de resgate e admitido no Orlando Health Medical Center, onde permaneceu na UTI (Unidade de Terapia Intensiva), acompanhado pela equipe médica local.

A assessoria de imprensa de Gugu afirmou que o corpo será velado na Assembleia Legislativa de São Paulo e sepultado no jazigo da família no Cemitério Gethsêmani, em São Paulo (SP).

O velório será aberto ao público, mas ainda não há data definida. A expectativa é que o translado do corpo não aconteça até quarta-feira (27). 

A família do apresentador autorizou a doação de órgãos e, segundo informações da equipe médica responsável, a doação poderá beneficiar até 50 pessoas.