Música Dez anos após morte, Amy Winehouse ganha documentários

Dez anos após morte, Amy Winehouse ganha documentários

'Reclaiming Amy' será lançado nesta sexta (23) e 'Amy Winehouse e Eu: A História de Dionne Bromfield' vai ao ar no dia 27 de julho

Agência Estado - Variedades
Morte de Amy Winehouse completa 10 anos nesta sexta-feira (23)

Morte de Amy Winehouse completa 10 anos nesta sexta-feira (23)

Divulgação

O mundo da música completa uma década sem Amy Winehouse nesta sexta-feira (23) dia em que será lançado Reclaiming Amy (rebatizado após ser divulgado inicialmente como Amy Winehouse: 10 Years On), documentário produzido pela BBC que traz a visão de sua mãe, Janis, que tem esclerose múltipla, sobre a trajetória da filha. Na próxima terça-feira (27), estreia Amy Winehouse e Eu: A História de Dionne Bromfield, que conta com o olhar da afilhada da artista.

Segundo a BBC, a presença de Janis em Reclaiming Amy foi escolhida por se tratar de "uma figura próxima de Amy de quem ainda temos muito a ouvir e cuja versão dos acontecimentos muitas vezes diverge da narrativa que nos foi contada antes". "Não sinto que o mundo conheceu a verdadeira Amy, aquela que eu criei, e anseio pela oportunidade de oferecer uma compreensão de suas raízes e um vislumbre mais profundo da verdadeira Amy", explicou a mãe sobre a obra.

Reclaiming Amy promete trazer imagens raras de apresentações nunca vistas antes ao longo de seus 59 minutos, que também trazem depoimentos de familiares e amigos da artista. A obra será exibida às 21h desta sexta pela BBC Two, no Reino Unido, e depois deve ficar disponível na plataforma BBC iPlayer, sem previsão de exibição no Brasil.

Amy Winehouse e Eu: A História de Dionne Bromfield foi anunciada pela MTV e pelo Paramount+. O documentário será exibido no Brasil no canal pago no dia 27 de julho, às 19h, e ficará disponível no serviço de streaming posteriormente. Dionne, afilhada de Amy, compartilha seus altos e baixos e material de arquivo inédito dos tempos que passou com a cantora durante cerca de uma hora.

"Não posso mensurar o quão terapêutica esta jornada tem sido para mim. Finalmente, posso avançar para o próximo capítulo da minha carreira, sabendo que lidei com emoções que foram enterradas por anos. Espero que este documentário apresente Amy como mais do que apenas uma pessoa lutando contra o vício e, em vez disso, mostre a pessoa incrível que minha madrinha era", conta Bromfield.

Não se tratam dos primeiros documentários sobre a cantora. Em 2016, o diretor Asif Kapadia recebeu o Oscar de melhor documentário em longa-metragem por Amy, uma desconfortável biografia que aborda o declínio da cantora e sua relação com o uso exagerado de drogas, seu marido Blake Fielder-Civil e o frequente assédio dos paparazzi que faz o público refletir se, durante os últimos anos da jovem, não acabou contribuindo para sua morte precoce aos 27 anos.

À época, seu pai, Mitch Winehouse, por vezes retratado como oportunista, criticou a produção: "O filme é equivocado e desequilibrado. Todo mundo que participou da produção desse documentário deveria se envergonhar. Minha relação com a Amy era repleta de amor. Tínhamos alguns problemas, como qualquer família. Mas, no geral, a gente se amava muito".

Últimas