EUA planejam versão do Eurovision com músicos dos 50 estados

Importante concurso musical, que contará com candidatos de todos os 50 estados do País, atrai 200 milhões de telespectadores por ano

Eurovision atrai 200 milhões de telespectadores por ano

Eurovision atrai 200 milhões de telespectadores por ano

Reprodução/Instagram Eurovision

Após meses de rumores, os Estados Unidos planejam lançar em 2021 uma versão própria do Eurovision, um concurso musical que contará com candidatos de todos os 50 estados do país.

A revista Variety antecipou alguns detalhes do projeto, que pretende levar ao outro lado do Oceano Atlântico o enorme legado do concurso musical europeu, que, com mais de seis décadas de gistória, atrai 200 milhões de telespectadores por ano.

Músicos profissionais de cada um dos 50 estados poderão participar com canções originais sozinhos, em dueto ou grupos com até seis integrantes. Os competidores se enfrentarão em uma série de rodadas eliminatórias até a final.

Estes novos detalhes estão de acordo com o que foi revelado em Tel Aviv, em Israel, em maio de 2019, quando os responsáveis por este novo programa revelaram planos que têm o apoio da União Europeia de Radiodifusão, proprietária do Eurovision.

"O Eurovision foi um projeto sonhado por mim desde criança. Ter a oportunidade de utilizar tudo o que sabe sobre o formato, refazê-lo (para a versão americana) do zero e levá-lo a uma audiência que não tem história com ele é um grande privilégio. É um concurso no qual torcemos para o estado e a cidade natal, não há outro espetáculo que faça isso", disse hoje o produtor Christer Björkman à "Variety".

Juntamente com Björkman, outro dos grandes responsáveis pela ideia é Ben Silverman, que, como produtor, sabe bem como adaptar um formato europeu aos gostos americanos. Ele foi um dos cérebros por trás da série "The Office".

"Passei 20 anos tentando fazer isto. Agora, que os Estados Unidos estão mais impactados do que nunca e estamos lidando com muitas questões que nos dividem, a única coisa que nos une verdadeiramente é a nossa cultura", comentou Silverman.

A pandemia impediu a realização do Eurovision neste ano. No entano, o evento serviu como inspiração para "Festival Eurovision da Canção: A Saga de Sigrit e Lars", filme lançado neste ano pela Netflix, com Will Ferrell e Rachel McAdams como protagonistas.