Música Mãe de finalista do 'Canta Teen' conta o que filho faria com o prêmio

Mãe de finalista do 'Canta Teen' conta o que filho faria com o prêmio

Bruno Bomfim foi aprovado pelos 100 jurados ao cantar clássico de Pavarotti; jovem de 14 anos canta para a avó com Alzheimer e apoia causas sociais

Bruno Bomfim Bioza chamou a atenção não só dos 100 jurados, como do público, durante a participação no Canta Comigo Teen, reality show musical da Record TV. O vozeirão do jovem de apenas 14 anos, que já é finalista do programa, impressionou assim que ele cantou as primeiras notas de Nessun Dorma, um clássico de Luciano Pavarotti, de quem é fã.

"Subir no palco foi um sonho realizado para ele. A gente ficou muito tempo isolado [por conta da pandemia de covid-19], fazia tempo que ele não pisava nos palcos. Ele disse que o corpo todo tremeu, que sentiu algo muito forte. E a gente recebeu tanto retorno, tanta gente escrevendo...", celebra Elaine Bomfim, mãe de Bruno.

O garoto chamou a atenção muito também pelo estilo de música que escolheu para cantar, bem diferente de ritmos que fazem tanto sucesso entre os jovens.

"Ele tem o Pavarotti como ídolo, gosta muito de ópera, acha muito bonito, expressivo... Porque trabalha com toda respiração, controle, tem toda uma questão. Ele adora todos os tipos de música, mas a música clássica em geral é o que ele mais gosta", reforça a mãe, antes de dizer que Bruno teve dificuldades de encontrar um professor de música por conta disso.

Bruno fez os 100 jurados se levantarem no 'Canta Teen'

Bruno fez os 100 jurados se levantarem no 'Canta Teen'

Reprodução/Instagram

"Muitas escolas falavam que ele tinha de cantar outras coisas, estudar outros gêneros, porque música clássica e ópera não vendem, brasileiros não gostam... Mas como você vai dizer para uma criança que ela não pode cantar o que gosta? Até que conhecemos o maestro Marconi que orienta o Bruno até hoje."

Elaine conta que o filho mostra interesse por música desde pequeno. Ela relembra que Bruno gostava de cantar para ela e para a família em momentos difíceis, na tentativa de levar alegria e arrancar um sorriso. "Eu brincava com ele: 'Canta, passarinho'", diz a mãe. Com a avó materna, que tem Alzheimer, a ligação através das canções é muito mais forte.

"Há três anos, ela veio morar com a gente e, com medo de ela se esquecer dele, o Bruno começou a cantar para ela e percebeu que ela não se esquece dele cantando. É muito bonito, é uma forma de resgatá-la. Ele pergunta: 'Onde você está?' e começa a cantar e ela responde. É um resgate de parte da memória dela que não se perde. É ali que ele se encontra com ela, através da música", declara Elaine.

Causas sociais

Além do talento para cantar, o jovem de apenas 14 anos mostra uma preocupação em ajudar aqueles que precisam e, inclusive, já fez apresentações, participou de musicais e lançou livros para arrecadar fundos para instituições e ONGs.

Paixão pela música vem desde pequenininho

Paixão pela música vem desde pequenininho

Reprodução/Instagram

"Bruno sempre teve esse lado. Ele fala que ele é uma pessoa de atitudes positivas, que só pensar não adianta. Ele fala muito que tem vontade de mudar o Brasil, é envolvido em causas sociais... Ele acredita que a música ultrapassa barreiras, porque você consegue acessar muita coisa, que às vezes, a palavra não consegue", explica a mãe de Bruno, que revela que ele criou um musical baseado no livro escrito por ele, João Pede Feijão.

"São 20 músicas, com composição dele, é bem poético e grandes nomes do teatro já disseram que está muito bem feito", vibra Elaine. "A ideia dele com o musical é fazer com que o dinheiro movimente outros recursos para vir coisas maiores e ele poder ajudar as pessoas", completa. 

Elaine ainda revela o sonho de Bruno, caso se torne o grande vencedor o Canta Comigo Teen. Vale lembrar que o cantor já está na final, de acordo com a regra do programa, pois foi aprovado pelos 100 jurados que se levantaram na performance dele.

Bruno já fez musicais para ajudar instituições

Bruno já fez musicais para ajudar instituições

Reprodução/Instagram

"Ele queria ganhar, tem essa vontade de levar o prêmio, pois tem uma força muito maior de passar uma mensagem de esperança, de mostrar que existem outros estilos musicais no Brasil, ao contrário do que muitas pessoas pensam e essa questão de sempre fazer algo voltado em ajudar os outros."

Últimas