Poeta do Congo faz clipe sobre “panelas vazias” durante pandemia

Com lugares fechados em Kinshasa para conter o contágio da covid-19, "o silêncio nos atinge e é demais!", canta Yekima no clipe 'Mpiak'corona'

Yekima adverte no clipe 'Mpiak'corona'

Yekima adverte no clipe 'Mpiak'corona'

Reprodução/YouTube

Enquanto o coronavírus se espalha na República Democrática do Congo, um poeta popular congolês adverte em seu novo clipe que o isolamento está deixando muitos pobres do País sem meios de sustento.

Com bares e igrejas fechados na capital Kinshasa em esforços para conter o contágio da covid-19, "o silêncio nos atinge, e é demais!", canta Yekima em seu vídeo intitulado Mpiak'corona, lançado em 27 de junho.

"Eles já estão nos dizendo para ter cuidado, lá fora existe uma doença com o nome covid", diz ele em seu estilo "afro-slam", uma mistura de poesia slam e batidas africanas modernas.

"Mas desde então, o que temos é um copo vazio, uma panela vazia, uma mesa de jantar vazia."

Como a maioria dos países africanos, o Congo introduziu medidas para coibir a covid-19 e se apega à esperança de que seja poupado do pior devido à sua população amplamente jovem. O vírus provou ser muito mais mortal para as pessoas idosas em todo o mundo.

Mas, enquanto a Europa reduziu seus números de covid-19, os dados do governo do Congo apontam para a direção oposta --com registro de casos dobrando para mais de 7.000 em apenas algumas semanas-- e a falta de testes amplia os temores de que o vírus se espalhe muito mais, sem ser detectado.

Yekima disse à Reuters que o governo precisa fazer mais. "Não queremos sobreviver a esta pandemia apenas para morrer de fome", afirmou ele.

Por Benoit Nyemba

(Reportagem adicional de Hereward Holland)