Polícia fala sobre investigação da morte da cantora Goo Hara

Em coletiva, comissário disse que encontraram uma carta na casa da cantora e que não há suspeitas de crime. Hara foi encontrada morta no domingo (24)

Goo Hara foi encontrada morta em casa no domingo (24)

Goo Hara foi encontrada morta em casa no domingo (24)

Reprodução/ Instagram

A polícia deu informações sobre a investigação da morte da cantora Goo Hara em uma coletiva de imprensa nesta segunda-feira (25).

A cantora de 28 anos foi encontrada morta no apartamento em que morava em Seul, capital da Coreia do Sul, no domingo (24).

Segundo o portal de notícias Soompi, o Comissário da Agência da Polícia Metropolitana de Seul, Lee Yong Pyo, disse que foi encontrada uma carta no apartamento.

“Tinha uma mensagem escrita à mão encontrada na mesa da sala de estar”, contou. “Não podemos revelar o conteúdo da carta”.

A cantora foi encontrada pela empregada no fim da tarde do domingo (24). “Baseado em uma inspeção no local e testemunho da família, não há suspeitas de um crime”, disse Yong Pyo.

Ainda não foi decidido se a cantora passará por uma autópsia ou não, o comissário disse. “Vamos decidir depois de consultar a promotoria e levando em conta a opinião da família e os resultados da inspeção do local”.

As autoridades também conferiram imagens das câmeras de segurança, que mostra Hara chegando em casa no domingo depois da meia-noite. Ela não recebeu visitas durante o dia e a única pessoa que entrou na casa foi a empregada, às 18h.

“A empregada tinha uma relação boa com Goo Hara há um longo tempo. Ela foi para a casa dela depois de tentar falar com Hara e não ter resposta”, concluiu o comissário.

A carreira de Hara

A cantora começou a carreira no grupo KARA, um dos mais importantes da segunda geração do k-pop e o primeiro grupo feminino a se apresentar no Tokyo Dome, no Japão, em 2013.

Hara entrou no grupo em 2008, um ano depois do lançamento, e era membro da formação até o disband do KARA, em 2016.

Ela não tinha contrato ativo com nenhuma agência na Coreia do Sul, mas tinha um contrato vigente com a empresa Production Ogi, no Japão. Ela tinha acabado de terminar uma turnê solo pelo país.

A cantora era alvo constante de ataques nas redes sociais sul-coreanas, tanto por não esconder os relacionamentos, algo incomum no k-pop, quanto por não esconder os sentimentos e opiniões. 

No ano passado, Hara foi chantageada por um ex-namorado, que tinha gravado vídeos eróticos dos dois sem o consentimento da cantora. Durante o término, os dois chegaram a se agredir. Ela testemunhou diversas vezes contra o rapaz, Choi Jong-bum, que foi condenado à um ano e seis meses de prisão.

Em maio deste ano, a cantora foi encontrada desacordada em casa depois de uma suposta tentativa de suicídio. Ela pediu desculpas nas redes sociais, mas foi criticada pelos seguidores.