Música Streaming impulsiona crescimento de mercado mundial da música

Streaming impulsiona crescimento de mercado mundial da música

Plataformas digitais, lideradas por Spotify, Apple e Deezer, agora representam 62,1% de toda a receita da indústria fonográfica

  • Música | Ricardo Pedro Cruz, do R7

No Brasil, Gusttavo Lima teria faturado R$ 707 mil só com o single 'A Gente Faz Amor'

No Brasil, Gusttavo Lima teria faturado R$ 707 mil só com o single 'A Gente Faz Amor'

Reprodução/Instagram

O mercado mundial da música registrou crescimento de 7,4% em 2020, consolidando uma recuperação graças ao setor de streaming. Os dados foram apresentados no início da tarde desta terça-feira (23) pela IFPI (Federação Internacional da Indústria Fonográfica).

As plataformas de música digital, lideradas por Spotify, Apple e Deezer, agora representam 62,1% de toda a receita global da indústria. Juntas, as três empresas acumulam 443 milhões de assinantes pagantes.  

“Algumas coisas são atemporais, como o poder de uma ótima música ou a conexão entre artistas e seus fãs. No entanto, algumas coisas mudaram. Com tantas partes do mundo fechadas e a música ao vivo suspensa, em quase todos os cantos do globo a maioria dos fãs curtiu a música via streaming", explicou Frances Moore, presidente-executiva da IFPI. 

Crescimento em todas as regiões

A indústria da música gravada registrou avanço em todas as regiões do mundo. De acordo com a pesquisa, a América Latina permanece liderando o ranking quando o assunto é velocidade de crescimento (15,9%). A região viu as receitas de streaming avançar 30,2% no ano passado. 

Na Europa, que é considerada a segunda maior região do mercado fonográfico, a expansão das plataformas digitais (20,7%) impulsionou o setor e garantiu elevação de 3,5% na arrecadação. Já nos Estados Unidos e Canadá, o crescimento foi de 7,4%. 

Últimas