Astros do K-pop são condenados por estupro e outros crimes sexuais

Músicos se envolveram em caso de casa de prostituição investigada pela polícia coreana

Jung Joon-young and Choi Jong-hoon (K-pop)

Jung Joon-young and Choi Jong-hoon (K-pop)

Tenho Mais Discos Que Amigos
Fotos via Wikimedia Commons Crise no K-pop nesta última sexta-feira (29). Dois astros do estilo sul-coreano foram presos por crimes sexuais. De acordo com o New York Times, Jung Joon-young e Choi Jong-hoon, músicos famosos no país, foram condenados por estupro, abuso sexual, compartilhamento de vídeos íntimos e outros crimes. Jung vai passar seis anos na cadeia, enquanto Choi passará cinco anos. As acusações fazem parte das investigações ao clube Burnung Sun, em Gangnam. O local era palco de prostituição, corrupção policial, tráfico de drogas e mais -- vários nomes envolvidos na indústria do K-pop também foram descobertos. No julgamento, Jung se declarou culpado de ter compartilhado fotos e vídeos fazendo sexo com mais de 10 mulheres sem consentimento. Ele também está envolvido, junto com Choi, em um caso de estupro coletivo em 2016 -- Choi, por outro lado, negou todas as acusações. K-pop A polêmica vem em meio a outra discussão bastante séria envolvendo a indústria do K-pop. Nos últimos meses, diversos cantores e cantoras se suicidaram e outras citaram estar com depressão e ansiedade. O motivo comum é a pressão que eles são colocados para fazer sucesso na comunidade, que cresceu nos últimos anos. LEIA TAMBÉM: Goo Hara, atriz e cantora de K-pop, morre aos 28 anos de idade