Chris Adler diz que saída do Lamb Of God não foi sua decisão; entenda

Essa é a primeira vez que o baterista se pronuncia sobre o caso

Chris Adler, baterista do Lamb Of God

Chris Adler, baterista do Lamb Of God

Tenho Mais Discos Que Amigos
Foto via Wikimedia Commons Chris Adler falou pela primeira vez sobre sua saída do Lamb of God, anunciada em julho deste ano. O baterista, que não tocava ao vivo com a banda desde 2017 após um acidente de moto, revelou que a decisão de deixar a formação não foi sua. Adler ainda deu a entender que houve desentendimentos entre os membros do grupo. O músico foi um dos fundadores do Lamb of God em 1994. Leia o comunicado completo e traduzido logo abaixo -- a publicação original está por aqui: Eu sinto que é hora de abordar as muitas perguntas que estão sendo feitas sobre a minha saída do Lamb of God. Permita-me começar com um conceito relativo para que vocês possam compreender. Todos nós demos nossas vidas [ao projeto], 26 anos não são pouca coisa. Cada um de nós sacrificou e perdeu muito em um nível pessoal para viver o sonho que tivemos quando éramos crianças. Eu sempre amarei cada membro da banda por acreditar em mim e concordar em dominar o mundo. Conseguimos encontrar um pouco de amor nesta máquina, mas, por sua vez, foram necessárias coisas que não podem ser recuperadas. Eu não abandonei o sonho. Não tomei a decisão de deixar o trabalho da minha vida para trás. A verdade é que não estou disposto a tocar em troca de números. Desejo a meus irmãos tudo de melhor em seus projetos contínuos. Posso garantir que você terá notícias minhas novamente. Recebi um presente e espero continuar a compartilhá-lo. Muitos me perguntaram sobre um acidente de moto que tive na Tailândia em 2017. É verdade que não foi nada bonito, mas estou bem desde agosto de 2018. Obrigado por suas preocupações. Apoio meus amigos e o sonho que lhes permiti compartilhar comigo. Adorava e ainda me sinto honrado por cada um dos sorrisos que provocamos. Existe um conceito ambíguo em nosso mundo do que é 'se vender'. Não posso definir isso fora do meu entendimento pessoal, mas sei que ficar preso em uma fórmula 'criativa' e/ou tocar a mesma música 10.000 vezes não reforça meu amor por tocar. Nunca fui de fazer isso. Preferia cortar grama. Reconheço e sou verdadeiramente grato por realizar meu sonho de infância. Eu tenho dois GRAMMYS que estão na casa da minha mãe. Eu acho que ela merece três, então essa festa não acabou. Eu não tive escolha nisso e meu sonho está vivo. Sinta-se livre para dizer 'olá' se você me ver cortando grama por aí. Isso nunca envelhece. Eu aprecio cada um de vocês! Obrigado! Chris PS: Posso ou não estar em contato com Kyle Thomas e Myrone sobre um álbum conceitual do Oakland Raiders. Isso não está sendo confirmado ou negado. Eita. Lamb of God A banda, que agora conta com o baterista Art Cruz, está trabalhando no sucessor de VII: Sturm und Drang (2015).