Bryan Behr, novo nome do pop nacional, fala sobre seu álbum de estreia

Cantor aposta no pop radiofônico de qualidade em seu primeiro disco

Vagalume

Vagalume

Vagalume

A música de Bryan Beher não tem muito segredo: é um pop de base acústica com pitadas de MPB, reggae e até soul, que privilegia o romantismo nas letras e busca passar uma mensagem de otimismo e bem estar vno ouvinte.

Mas o simples não é necessariamente fácil, aliás geralmente não é, e este é um dos grandes segredos do pop. E em seu primeiro álbum, o recém-lançado "A Vida É Boa", o cantor e compositor nascido em Santa Catarina demonstra grande talento e surge como um nome a se ficar de olho em seus passos a partir daqui.

Falando com o Vagalume, Behr conta que a opção pelo pop veio de forma natural, citando Lenine e Nando Reis e Cássia Eller, como exemplos de artistas que o inspiraram a começar a compor e disponibilizar esse material na internet.

O curioso está no fato dessas canções não refletirem necessariamente o seu gosto pessoal. "Eu ouço muito mais música internacional e rock'n'roll, mas quando vou escrever, por algum motivo, faço músicas que falam de amor de uma forma leve. Eu consigo separar muito bem as coisas que eu ouço, das que escrevo."

O cantor diz não saber exatamente que tipo de ouvinte será atraído por suas músicas e que só agora, com o disco na rua, será possível ter uma ideia melhor sobre isso. De qualquer forma, se artistas como Anavitória ou Tiago Iorc estão entre os que lhe agradam, fica aqui a nossa dica para que vocês conheçam o trabalho dele.

Behr também se mostra bastante prolífico. As onze faixas de "A Vida É Boa" foram selecionadas a partir de uma leva de 150 composições. Ele brinca e diz que ainda tem 139 músicas muito boas e que se dependesse dele gravaria todas. "Mas é impossível lançar um álbum com 150 músicas né?" Não à toa, o cantor já pensa no futuro, dizendo que seu próximo trabalho certamente terá material que ficou de fora deste. Ele também não descarta a opção de ceder suas composições para outros intérpretes gravarem.

"Eu tenho um carinho muito grande por essas músicas, mas não tenho apego por elas. O que mais quero ''e vê-las no mundo. Então se o trabalho de um artista se encaixar com o que eu escrevi, obviamente eu vou gostar muito que ele grave."

Por ora, o melhor mesmo é ouvir essas 11 canções e tentar vê-lo ao vivo. Behr tem planos de cair na estrada seja se apresentando apenas com seu violão ou ao lado de uma banda. "O importante é levar as músicas para todos os lugares", conclui.

Curta o clipe de "A Vida É Boa Com Você"

Clique para ver no Vagalume


E ouça o álbum:

Clique para ver no Vagalume

Fonte: Vagalume