Vagalume Nicki Minaj compara "cultura do cancelamento" nos EUA com censura na China

Nicki Minaj compara "cultura do cancelamento" nos EUA com censura na China

Rapper foi bloqueada no Twitter por divulgar "fake news" sobre efeitos colaterais das vacinas contra a Covid-19

Vagalume
Vagalume

Vagalume

Vagalume

Nicki Minaj usou suas redes sociais para rebater as críticas que recebeu após comentários polêmicos sobre a vacina contra a Covid-19. A rapper acabou sendo bloqueada no Twitter, na quarta-feira (15), por divulgação de "fake news" sobre efeitos colaterais dos imunizantes.

Na noite de ontem, Minaj fez uma live no Instagram, onde trechos foram publicados pela Fox News americana, criticando a represália que está sofrendo pelos comentários, comparando a cultura do cancelamento nos EUA com restrições impostas pela China para que visitantes não critiquem publicamente os líderes políticos do país.

"Não se pode falar, se isso não te arrepia... É assustador. Você deveria poder fazer perguntas sobre qualquer coisa que coloca dentro de seu corpo. Nós fazemos perguntas sobre qualquer coisa simples, como uma cola, será que essa cola funciona? Cola direito? Mas não podemos questionar sobre algo que vão colocar no nosso corpo?", disse a rapper.

"Eu lembro de ir à China e nos dizerem que não poderíamos falar contra as pessoas, você sabe, que estão no poder lá etc. E lembro da gente falar, 'ah, tudo bem, nós entendemos e respeitamos as leis daqui e que é tão diferente de onde nós vivemos'. Mas vocês não estão enxergando o que está acontecendo? Vocês não estão vendo que agora estamos vivendo nesses tempos? Onde as pessoas vão te dar as costas e te isolar apenas por você falar e fazer perguntas?", continuou Minaj.

Após ser bloqueada no Twitter, Nicki Minaj afirmou que estava numa espécie de "prisão" da plataforma, insinuando que a mesma . A rapper também disse que foi convidada a ir à Casa Branca para que um especialista respondesse suas perguntas sobre as vacinas.

"A Casa Branca me convidou e acho que é um passo na direção certa. Sim, eu vou. Vou vestida inteira de rosa, como no [filme' 'Legalmente Loira', para que saibam que estou falando sério. Vou fazer perguntas em nome das pessoas que foram ridicularizadas por simplesmente serem humanas", postou ela.

Clique para ver no Vagalume

Fonte: Vagalume

Últimas