Ringo Starr completa 80 anos. Relembre músicas que marcaram a carreira do baterista dos Beatles

Músico é uma das pessoas mais queridas da história do rock

Vagalume

Vagalume

Vagalume

Ringo Starr está completando 80 anos neste 7 de julho, o primeiro Beatle a atingir a marca (Paul McCartney nasceu em 1942). O mais velho do quarteto de Liverpool, John Lennon, morto em 1980 era três meses mais novo que ele, foi também o último a se juntar à banda. Por causa disso, ele foi frequentemente chamado de "homem mais sortudo do planeta".

O fato é que Ringo só foi convidado a substituir Pete Best, o baterista original, por seus talentos e, ainda que sua técnica tenha sido muito discutida, especialmente nos anos 70, hoje está claro que Starr, nascido Richard Starkey, criou um estilo único, original, e, acima de tudo, de enorme eficiência para a banda - ele defende que a bateria deve servir à canção e nunca se sobrepor a ela. Não à toa, ele nunca foi um grande fã de solos do instrumento.

Ringo não compunha muito, "Don't Pass Me By" e "Octopus's Garden" são as duas únicas canções que assinou sozinho na carreira da banda, e ele foi o vocalista em apenas 11 canções deles. Ainda assim, seu jeito bonachão e bem-humorado é parte fundamental da mítica que envolve o quarteto de Liverpool.

Vagalume

Vagalume

Vagalume

Como talvez fosse de se esperar, com o fim do grupo em 1970, ele foi o que teve a carreira solo mais discreta. Mas nem sempre foi assim. No começo, ele chegou a ter discos nas paradas com mais destaque até do que aqueles de seus ex-colegas. Nos EUA, foram oito singles no top 10, incluindo dois no primeiro lugar. A fase de astro pop solo durou pouco, até 1974, mas ele seguiu em frente lançando discos com regularidade, "What's My Name", do ano passado, é o seu 20° álbum de estúdio.

A partir do final dos anos 80, ele também voltou a se apresentar ao vivo com a All-Starr Band, em shows onde ele é a estrela, mas não o dono solitário dos holofotes - os demais músicos são nomes que gozam de prestígio e sempre cantam dois de seus sucessos nas apresentações. Peter Frampton, Joe Walsh, Todd Rundgren e Jack Bruce são alguns dos nomes que já fizeram parte da banda de Ringo.
Vagalume

Vagalume

Vagalume

Para celebrar essa data marcante, lembramos de cinco momentos inesquecíveis do baterista:

"Boys" - 1963
No começo da Beatlemania, é sempre bom lembrar que Ringo tinha um grande fã-clube, com muitas fãs escolhendo o baterista como o seu beatle favorito. Não a toa, um dos momentos de maior intensidade nos primeiros shows da banda eram quando Starr cantava o seu número. "Boys", uma cover das Shirelles, que eles gravaram em seu álbum de estreia, era bastante tocada nos concertos dessa primeira fase e era sempre muito bem recebida. A música também mostra como Ringo era importante para o som da banda, veja como ele ajuda a trazer uma agressividade para a música e estimula os outros três a atacarem seus instrumentos com igual intensidade:

Clique para ver no Vagalume

"Rain" - 1966
Lançada como lado B de "Paperback Writer", essa música flagra a banda entrando em sua fase mais psicodélica, quando as experimentações em estúdio começam a se tornar mais e mais presentes. "Rain" costuma ser lembrada como o provável melhor momento de Ringo nos Beatles, ao lado de "A Day In The Life", lançada no ano seguinte. Ouça prestando atenção apenas no baterista e entenda o porquê.

Clique para ver no Vagalume

"Yellow Submarine" - 1966
Se houve algo nos Beatles onde Ringo se destacou mais que seus companheiros foi no cinema. Sua presença em "A Hard Day's Night" (1964), o primeiro filme da banda, foi tão marcante que ele ganhou um destaque maior em "Help!" do ano seguinte. Sua figura também ficou eternamente marcada na animação "Yellow Submarine", de 1968, baseada na canção escrita por Lennon e McCartney para o baterista cantar dois anos antes no álbum "Revolver". Uma música simples e inegavelmente contagiante, ela costuma fazer muito sucesso com as crianças, que, não raro, começam por aqui a sua relação de amor com o quarteto de Liverpool.

Clique para ver no Vagalume

"With A Little Help From My Friends" - 1967
A segunda música do emblemático "Sgt. Peppers" se tornou a segunda grande marca registrada de Ringo - ele brinca que cantar essa e "Yellow Submarine" nos shows são as suas maiores obrigações. A letra, que prega o valor da amizade, também ressoa através de gerações e acabou servindo bem ao baterista, que sempre tocou a sua carreira com uma grande ajuda de seus amigos - sempre prontos a dividir o palco com ele, participarem de seus discos ou lhe darem músicas de presente para gravar.

Clique para ver no Vagalume

"It Don't Come Easy" - 1971
Com o fim dos Beatles em 1970, Ringo foi o que melhor manteve relações com seus ex-companheiros, George brincava que não se podia fazer um disco de ex-Beatle sem a participação dele. Harrison, diga-se, foi de grande ajuda para o baterista quando chegou a hora dele começar a sério sua carreira solo. Ringo já havia gravado um álbum com standards do cancioneiro americano e outro apenas com canções de inspiração country, mas voltou ao mundo do rock com esse compacto, uma canção poderosa e forte candidata a fazer parte de um top 10 de melhores canções feitas por um Beatle em carreira solo.

Mais impressionante era ver que o selo do compacto dizia que a canção havia sido composta somente pelo baterista e produzida por George Harrison. Teria ele desabrochado como compositor? Como se veria depois, não foi bem o caso. "It Don't Come Easy" foi escrita mesmo por George, como a demo que vazou anos depois comprova. Isso não tira em nada o brilhantismo da música que chegou no top 5 dos EUA e Reino Unido. A parceria "Ringo/George" voltaria a brilhar dois anos depois com "Photograph" (essa assinada pelos dois, a única música a ter esse crédito) que ficou no topo da parada dos EUA (e em oitavo no Reino Unido).

Clique para ver no Vagalume

Fonte: Vagalume