Trini Lopez morrer aos 83 com complicações causadas pela COVID-19

Cantor fez sucesso nos anos 60 com sua versões para "If I Had A Hammer", "La Bamba" e "America"

Vagalume

Vagalume

Vagalume

O cantor Trini Lopez morreu nesta terça-feira (11) aos 83 anos com complicações causadas pela COVID-19. Filho de mexicanos, Lopez fez sucesso durante o período na história do rock que sucede a primeira geração de roqueiros dos anos 50 e antecede a explosão dos Beatles.

Lopez começou a gravar uma série de compactos a partir de 1958, as baladas românticas eram a sua especialidade nessa época, mas nenhum deles emplacou nas paradas. A sorte mudaria em 1963 quando ele começou a trabalhar no famoso nightclub PJ's em Los Angeles e começou a atrair um público cada vez maior para a s suas apresentações.

O sucesso levou a um contrato com a poderosa Reprise Records de Frank Sinatra, por onde sairia o seu maior sucesso. A versão que fez para a canção folk "If I Had A Hammer" com ritmo de rock e um inegável balanço latino, estourou não só nos EUA (a música chegou ao terceiro lugar), como também em diversas partes do planeta.

O Brasil, por exemplo chegou a ter um clone do artista chamado Prini Lorez, que fez muito sucesso por aqui cantando o repertório do americano (recentemente, o próprio Trini ouviu o cantor, na verdade o paulistano José Gagliardi Jr., e parabenizou o seu imitador).

Vagalume

Vagalume

Vagalume

O disco mais bem sucedido de Trini foi sua estreia na Reprise. "Live at PJ's" saiu em 1963 e trazia versões animadas para, entre outras, "America", "This Land Is Your Land", "La Bamba", "Cielito Lindo", "Granada" e "Volare".

Lopez nunca mais atingiria as melhores posições na parada pop da Billboard, mas seguiria aparecendo com frequência no ranking de canções adultas e se tornou um dos mais bem sucedidos artistas de nightclub dos anos 60 e 70, apresentando-se frequentemente nos melhores cassinos de Las Vegas.

O cantor seguiu se apresentando ao redor do mundo no circuito nostálgico, e foi também um dos primeiros artistas da era do rock a cantar no Brasil. Ele veio em 1964 para um show no Teatro Record em São Paulo (leia uma resenha deste concerto).

Trini Lopez também tentou a sorte no cinema. Sua carreira não engrenou, mas ao menos em um clássico ele apareceu. O artista foi um dos "12 Condenados" no famoso filme de guerra do cineasta Robert Aldrich, e contracenou com Lee Marvin, Donald Sutherland, Charles Bronson, John Cassavetes e Ernest Borgnaine.

Veja Trini Lopez cantando alguns de seus sucessos na televisão francesa em 1964:

Clique para ver no Vagalume

Fonte: Vagalume