Pop Alpes suíços e veleiros são decoração "mágica" para Ibrahim Maalouf no Festival de Jazz de Montreux

Alpes suíços e veleiros são decoração "mágica" para Ibrahim Maalouf no Festival de Jazz de Montreux

MUSICA-FESTIVAL-MONTREUX:Alpes suíços e veleiros são decoração "mágica" para Ibrahim Maalouf no Festival de Jazz de Montreux

Reuters - Entretenimento

Por Stephanie Nebehay

MONTREUX, Suíça (Reuters) - O trompetista franco-libanês Ibrahim Maalouf fez shows no Festival de Jazz de Montreux na noite de segunda-feira, e se apresentou sobre um palco flutuante construído especialmente no Lago de Genebra para um número limitado de fãs e com teste negativo para Covid-19.

Com os Alpes suíços e veleiros em um cenário estonteante, o músico apareceu pela quarta vez em um dos mais prestigiados festivais de música do verão europeu, que teve a edição do ano passado cancelada por conta da pandemia. 

A 55ª edição pode receber 1.500 pessoas por noite em quatro locais diferentes, aproximadamente um décimo do tamanho normal de um evento de duas semanas. 

"É uma alegria estar aqui de novo, a primeira vez foi 15 anos atrás", disse Maalouf ao público. "O conceito do jazz aqui é muito parecido com o meu. Vocês vieram apesar das circunstâncias. Eu achei esse um ano e meio sem me apresentar muito, muito frustrante", disse o trompetista.

Maalouf, acompanhado pelo veterano guitarrista belga François Delporte, tocou a melancólica "Beirut", composta por ele aos 12 anos enquanto ele ainda vivia no Líbano, que saía então de uma guerra civil. 

As faixas de seu último álbum "40 Melodies", lançado em novembro do ano passado para marcar seu 40º aniversário, incluem "Happy Face", "True Sorry", e "All I Can't Say". 

Os assentos foram limitados a 500 pessoas ao longo do lago e que pagaram 155 francos suíços (168,15 dólares) por um show intimista. 

Últimas