Morte de Cristiano Araújo

Pop Perseguidor do sucesso, Cristiano Araújo morre no auge

Perseguidor do sucesso, Cristiano Araújo morre no auge

Cantor desenvolveu carreira de forma obstinada desde a infância

  • Pop | Por Miguel Arcanjo Prado, editor de Cultura do R7

Com apenas três anos, ainda mal dominando as palavras, o menino já gostava de cantar. Quem ouvia o pequenino se espantava com o modo que aquela doce voz alcançava as notas musicais.

A morte do cantor Cristiano Araújo, aos 29 anos, nesta quarta (24), silencia para sempre aquela criança que correu, de modo obstinado, atrás de seu sonho. E, justo no momento em que conquistou aquilo que tanto almejou, sua vida teve fim, em mais uma tragédia que se abate na música brasileira, já acostumada a sofrer perdas abruptas que nos deixam inconsoláveis.

O menino e o violão

Cristiano nasceu em Goiânia, em 24 de janeiro de 1986. Nas rádios, o rock nacional tocava incessantemente, mas o sertanejo, gênero que adotaria, já começava a ganhar corpo, para logo conquistar seu espaço no mercado fonográfico brasileiro.

O primeiro violão Cristiano ganhou aos seis anos. Logo, sua mãozinha pequena já dominava os acordes. Os primeiros shows foram na escola, nos festivais estudantis. Diante do boca a boca positivo, passou a receber convites também para tocar em festinhas. A família sempre o apoiou.

E assim, a brincadeira de infância foi se tornando um trabalho que o menino levava cada vez mais a sério.

Com dez anos, já sentia segurança para começar a compor. A notícia se espalhou, e músicos mais velhos começaram a cantar suas músicas. E, cada vez mais, músicos importantes do sertanejo se aproximavam dele. E o surpreendiam ao pedir canções para o menino que recém entrava na adolescência.

Concurso no Faustão

Aos 13 anos, Cristiano viu-se diante do primeiro grande desafio da carreira: gravar seu primeiro disco, com apenas cinco músicas.

Tomou coragem e inscreveu-se no Festival do Faustão. Não ganhou o primeiro lugar, mas ficou entre os seis melhores da região Centro-Oeste, o que lhe garantiu uma faixa no disco intitulado Jovens Talentos.

Batalhador, o rapaz aproveitou a repercussão positiva da participação no programa para alavancar sua agenda de shows. Assim, seu nome começou a se tornar cada vez mais presente nas festas do interior.

Após completar 17 anos, resolveu dividir o fardo e tentar o formato dupla, tão tradicional no meio sertanejo, e fez seu trabalho ao lado de outros cantores por seis anos.

Trilhando o sucesso

Mas, foi em 2010, que tomou uma sábia decisão: voltar a confiar em si próprio.

A carreira solo começou a deslanchar em 2011, com o disco Efeitos, no qual contou com a participação de amigos como Gusttavo Lima e Jorge, da dupla Jorge & Mateus.

O trabalho lhe abriu portas no meio sertanejo profissional, que percebeu o potencial do rapaz. Perspicaz, Cristiano contou com a ajuda da internet para alavancar as músicas do álbum e coloca-las na boca do povo.

A agenda de shows explodiu, passando de 20 por mês, fazendo-o mergulhar em uma corrida vida profissional. Mas era o que aquele menino com o violão debaixo do braço queria.

Com boa repercussão de seu trabalho, foi um pulo para conseguir voltar ao programa onde tudo começou: o Domingão do Faustão.

Sua música conquistou os telespectadores, e Cristiano garantiu participação no Sertanejo Pop Festival, de 2012, uma verdadeira plataforma de lançamento de novos nomes para o gênero musical que dominava as paradas de sucesso.

Depois disso, só restou a Cristiano Araújo viver o auge do sucesso, até a morte impor um fim abrupto, neste 24 de junho de 2015, data em que a voz daquele menino que encantava seus pais se calou para sempre.

Cristiano Araújo morre após acidente de carro

Assista gratuitamente à programação da Record no R7 Play e saiba mais sobre a morte do cantor

Últimas