Obra permeia a história sobre segredos da ditadura 

Livro desconstrói a tese criada pela ditadura — contestada por familiares e amigos da vítima

Trabalho árduo de pesquisa e reportagem permeia obra

Trabalho árduo de pesquisa e reportagem permeia obra

Divulgação

O paradeiro do corpo de Milton Soares de Castro foi um dos segredos mais bem guardados da ditadura militar. Um dos únicos civis a participar da Guerrilha de Caparaó, a primeira tentativa de levante armado contra o regime, ocorrida na divisa dos estados de Minas Gerais e Espírito Santo, o militante gaúcho foi preso no dia 1º de abril de 1967, junto a sete companheiros. Menos de um mês depois, apareceu morto numa das celas da Penitenciária de Linhares, em Juiz de Fora — mas seu corpo sumiu, e os militares forjaram documentos para sustentar a versão de suicídio.

Em "Cova 312", vencedora do Prêmio Jabuti em 2016, na categoria melhor livro-reportagem, que agora ganha nova edição pela Intrínseca, Daniela Arbex desconstrói a tese criada pela ditadura — contestada por familiares e amigos da vítima. Além disso, também recupera a trajetória da guerrilha de Caparaó, sufocada pelos militares antes mesmo que começasse. Com este relançamento, que conta com um projeto gráfico arrojado e um posfácio inédito assinado pela autora, a Intrínseca passa a ter em seu catálogo a obra completa de Daniela.

No livro, a autora reconstitui magistralmente a vida, a morte e o desaparecimento de Milton, preso quando tinha apenas 26 anos. Ao entrevistar dezenas de personagens — alguns na vida política até hoje, como Nilmário Miranda, ex-ministro dos Direitos Humanos e atual secretário estadual de Direitos Humanos e Cidadania de Minas Gerais —, Daniela descortina o dia a dia em um dos principais centros de detenção do regime autoritário, até então quase desconhecido do grande público.

Não satisfeita com as informações que já tinha em mãos, a repórter investigativa vai atrás do corpo do militante até encontrá-lo, na sepultura número 312, quadra L, do cemitério municipal de Juiz de Fora, enterrado como indigente. A busca minuciosa de Daniela durou mais de uma década e mudou o curso da história: após a publicação da descoberta, a Comissão Especial sobre Mortos e Desaparecidos Políticos modificou, oficialmente, a causa da morte do guerrilheiro.

"Cova 312"
336 páginas
R$ 49,90 (impresso)
R$ 24,90 (e-book)
Editora Intrínseca