A sua saúde é muito importante para nós

Projeto de Lei em prol da saúde tem objetivo de regulamentar hábitos obrigatórios para defender as pessoas de si mesmas

Pixabay

Um novo Projeto de Lei pretende fazer do Brasil a nação mais saudável do mundo. Segundo o autor do PL, deputado Henrico Sano, do PS (Partido da Saúde), serão criados novos regulamentos que tornarão alguns cuidados com a saúde compulsórios, ou seja, obrigatórios. Se for aprovado, os brasileiros não poderão mais prejudicar a própria saúde e também ficará vetada qualquer atitude que incentive outras pessoas a desenvolverem maus hábitos.

Quem não obedecer às novas determinações estará sujeito a multa, poderá ter dificuldades de conseguir emprego e, caso esteja empregado, poderá ser demitido por justa causa. Isso porque a saúde deve vir sempre em primeiro lugar e todo o resto a gente vê depois. Dentre as novas medidas de conduta, destacamos as três mais importantes.

• Fast-food – Só poderão ingerir alimentos como hambúrgueres, pizzas, batatas fritas e todo tipo de fritura com ou sem acompanhamento de bebidas gaseificadas adoçadas ou diet (os chamados refrigerantes) quem apresentar na entrada das lanchonetes exame comprovando níveis de colesterol controlados e teste de glicemia que certifique ausência de diabetes. Cada cliente passará também por aferição de pressão para descartar a presença de hipertensão arterial. Fica vedada a publicação de fotos e vídeos de pessoas consumindo fast-food para não induzir outras ao consumo. Uma pesquisa da Universidade de Washington comparou a dieta de 195 países e descobriu que comida com muito sal e gordura levou 11 milhões de pessoas à morte em 2017. Ou seja, fast-food matou mais do que cigarro e pressão alta, razão pela qual seu controle se faz altamente necessário.

• Álcool – Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS) não existe limite seguro para o consumo de álcool. A Organização Pan-Americana de Saúde informa que mais de 300 mil pessoas morrem todos os anos por doenças relacionadas ao alcoolismo. Foram mais de 3 milhões de óbitos nos últimos dez anos, porém com o aumento do consumo, os números tendem a aumentar se não forem tomadas medidas enérgicas. Diante disso, beber está totalmente fora de cogitação para qualquer pessoa, de qualquer idade, quer seja em locais públicos, quer seja em casa. Agentes do governo poderão invadir residências para verificar se há pessoas bebendo ou armazenando bebidas. Todos os indivíduos que forem pegos embriagados serão detidos e responderão a processo.

• Tabagismo – Estudo da Fiocruz alerta para os danos do tabaco e estima que cerca de 430 pessoas morrem por dia por doenças atribuídas ao tabagismo. Isso corresponde a mais de 12% das mortes no país, além de os tratamentos das doenças decorrentes do hábito de fumar custarem bilhões de reais aos cofres públicos todos os anos. Qualquer paciente que der entrada em hospitais públicos ou particulares por conta de doenças ligadas ao fumo, não serão atendidos. Ao saber dos males que o cigarro traz, entende-se que o cidadão assumiu o risco, portanto, não terá direito a tratamento. Visto que a fumaça exalada por um fumante também prejudica pessoas não-fumantes, fica terminantemente proibido fumar perto de outras pessoas, tanto em público quanto em casa. Diante de qualquer sinal de fumaça, fiscais da saúde poderão invadir residências ou estabelecimentos, apreender os cigarros e prender os responsáveis. A partir da sanção da lei, todo tabagista será obrigado a usar uma faixa no peito com os dizeres “negacionista: mantenha distância”.

Segundo o autor do PL, a aprovação na câmara e no senado deve ser unânime, pois ninguém em sã consciência discordará de que essas medidas evitarão milhões de mortes em nosso país e servirão de exemplo para as demais nações. Tudo o que os nossos legisladores querem é salvar nossas vidas, ainda que tenham que nos proteger de nós mesmos à força.

Esta crônica é uma ficção, mas poderia não ser.

Últimas