Folia acima de tudo, Carnaval acima de todos

No país onde o ano só começa depois do Carnaval, é 'incoerente' cancelar uma semana de folia por conta de uma 'quarta ondinha'

Será que o vírus vai gostar desta situação em São Paulo?

Será que o vírus vai gostar desta situação em São Paulo?

Edson Lopes Jr/Prefeitura de São Paulo

Nós somos brasileiros e não desistimos nunca! Por isso, pode vir quarta onda de Covid-19, pode a Europa impor novos fechamentos, pode aumentar o número de casos lá fora e até mesmo haver mortes de pessoas totalmente vacinadas: há esperança para o Carnaval de São Paulo.

Diferentemente de 58 cidades paulistas que já optaram pelo cancelamento da baderna, ou melhor, da saudável e inocente festividade, o prefeito de São Paulo afirmou que, “tecnicamente, hoje é incoerente dizer que não vai ter [Carnaval] ou dizer que vai ter com certeza”. Ou seja, a única definição até o momento é que não há definição alguma.

Realmente deve ser muito difícil decidir o que fazer diante de uma situação pela qual já passamos em 2020 e cujo resultado já se sabe que foi um desastre. Se fosse algo inédito, se ninguém tivesse ideia do que poderia acontecer, seria muito mais fácil, afinal de contas, era só dizer depois da tragédia que não tinha como adivinhar.

Mas, de fato, é uma incoerência que na maior cidade do país haja planejamento, prudência, e que se coloque a vida acima da folia. Para o prefeito, falar em cancelar o Carnaval é querer “fazer bonito para alguém”, e ninguém quer isso, não é verdade? O que nossos políticos querem é fazer o de sempre, ou seja, fazer feio.

Bonito mesmo é o que a prefeitura fez no ano passado: cancelou o trabalho. E, para isso, as autoridades não mediram esforços: colocaram a polícia em peso nas ruas, soldaram porta de comércio, ameaçaram prender, agrediram, e, para ajudar ainda mais, tiraram metade da frota de ônibus das ruas. Assim, quem dava uma de teimosão e saía de casa para trabalhar (só porque não tinha o que comer dentro de casa) tinha de se aglomerar dentro de conduções mais lotadas do que o normal. Como essa gente toda não morreu é que não se sabe até hoje.

Felizmente, os paulistanos ainda têm o benefício da dúvida, pois o prefeito – cujo nome até outro dia ninguém sabia, e muitos não sabem até hoje – ainda pode tomar a decisão errada, mesmo com a certa a dois dedos de seu narizinho. Ainda é possível que São Paulo coloque a folia acima de tudo e o Carnaval acima de todos!

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas