Nova modalidade de notícia: 'ex-fake news'

Nova ferramenta é usada quando um veículo de imprensa diz que uma notícia é falsa, mas depois ele mesmo se desmente

Nova modalidade de notícia chega ao país e promete ter vindo para ficar: a ex-fake news

Nova modalidade de notícia chega ao país e promete ter vindo para ficar: a ex-fake news

Pixabay

Uma nova modalidade de notícia chega ao país e promete ter vindo para ficar. É a ex-fake news ou, em bom português, ex notícia falsa. Ela está sendo amplamente utilizada por diversos meios de comunicação e, segundo os donos da verdade, quer dizer, os donos dos conglomerados de notícias, a nova ferramenta cancela e substitui a antiga errata e o direito de resposta.

Antonio Desquite, proprietário de um dos maiores grupos de comunicação do Brasil fez uma declaração emblemática em uma coletiva de imprensa na noite de ontem: “Antigamente, quando errávamos, éramos obrigados por lei a publicar uma errata. Em alguns casos tínhamos até de publicar direito de resposta. Isso demandava processos, causava gastos e trazia muito mal-estar aos profissionais que havia feito o que não deveriam ter feito. Mas, quem nunca erra, não é mesmo? Hoje em dia, em um mundo muito mais tolerante, avesso a discussões e que prega o puro amor, a ex fake news veio para resolver tudo. Ela cancela e substitui as erratas e os direitos de resposta.”

Dário Kents, que também é dono de um jornal, completou: “Agora somos verdadeiramente donos da verdade, tanto das falsas quanto das ex falsas que se tornaram verdades verdadeiras. Na realidade, nós só oficializamos e escancaramos o que já fazíamos antes, mas ainda não tínhamos dado um nome. Hoje é um dia histórico, o dia do nascimento da ex fake news para o bem de toda verdade!”

Nova ferramenta cancela e substitui a antiga errata

Nova ferramenta cancela e substitui a antiga errata

Reprodução

Desquite e Kents foram aplaudidos de pé e, para comemorar essa nova fase da imprensa brasileira foram exibidas duas matérias, onde a fake news, após apenas oito meses, torna-se verdade sem que haja qualquer problema para quem classificou a verdade como mentira, mas depois voltou atrás como se nada tivesse acontecido. As manchetes seguem abaixo.

“Abril/2021: É falso que Coronavac tenha se mostrado ineficaz e precise de terceira dose” – Em vídeo, influenciador bolsonarista distorce teor de entrevista de um médico do Butantan e faz uma série de afirmações infundadas sobre o imunizante”. Matéria publicada em 28/04/2021.

E a prova de que a fake news era falsa, ou seja, o que era fake não era fake, segue abaixo:

“Terceira dose da vacina: saiba quem vai tomar reforço contra covid – País estava aplicando dose apenas em públicos específicos, mas agora está expandindo a campanha; queda do nível de proteção dos imunizantes ao longo do tempo é um dos motivos para a estratégia”. Matéria publicada em 17/11/201.

E para que a ex fake news funcione é preciso apenas um requisito: que o público não faça uso da memória e nem questione quem checa os checadores. Eles são os únicos donos da verdade, tanto é que podem até criar as que melhor representem seus interesses.

Esta crônica é uma ficção? Sim, é uma pergunta para que você busque a verdade...

Últimas