Daniel Azulay, vítima de coronavírus, fazia leilão de sua obra

Ele fez muito sucesso na TV, quadrinhos e na música ao longo dos anos 70 e 80 e vai deixar saudades em quem foi criança nessa época

Daniel Azulay alegrou algumas gerações de crianças na TV

Daniel Azulay alegrou algumas gerações de crianças na TV

Reprodução/Daniel Azulay

As crianças dos anos 70 e 80, especialmente, sabem direitinho quem foi Daniel Azulay. Um grande desenhista que criou a Tuma do Lambe-Lambe e que teve alguns programas de TV na TV Bandeirantes (atual Band) e TV Cultura e na carioca TVE. Atualmente, aos 72 anos, Daniel estava leiloando seu acervo pessoal de desenhos originais, entre outros objetos.

Em seus programas, Azulay contracenava com seus personagens, que eram interpretados por pessoas dentro de fantasias, e também divertia as crianças com diversas atividades. Ele ensinava a montar coisas a partir de materiais que as pessoas tinham em suas casas, dava aulas de desenho, pintura e também cantava músicas criadas a partir de seu universo fictício. Tudo isso tornava Daniel um sujeito bem popular entre a garotada. Era, assim, uma espécie de Mauricio de Sousa ou um Walt Disney carioca.

Falando em Mauricio e Disney, a Turma do Lambe-Lambe, juntava seres humanos e animais antropomorfizados e surgiam aí Pita, Ritinha, Xicória, Gilda, Bufunfa, entre outros. Além da TV e discos, os personagens também tinham revistas em quadrinhos que foram publicadas durante um bom tempo pela Editora Abril, lá nos anos 80.

Daniel e algumas de suas criações

Daniel e algumas de suas criações

Reprodução/Daniel Azulay

Com uma grande produção própria, ele praticamente não parava de desenhar, há muito material original dele e é grande parte disso que ele estava leiloando online. Há desenhos livres, páginas originais de suas HQs, revistas em quadrinhos antigas e raras de diversos outros personagens, brinquedos, objetos e muito mais. Com sua morte, nesta sexta (28), devido ao coronavírus — ele também estava com leucemia —, o leilão foi pausado.

Parte do dinheiro arrecadado com a venda das peças seria (será) revertida para o instituto Pró-Criança Cardíaca. Esse era Daniel Azulay, um adulto que sempre foi uma criança e continuou sendo até o fim, aos 72 anos, nesta sexta.