Odair Braz Jr Duvido você admitir que Choque de Cultura Show é chato pra caramba

Duvido você admitir que Choque de Cultura Show é chato pra caramba

Programa tem seus momentos mas, no geral, diálogos e piadas acabam saindo sem graça e não fazem rir

Rogerinho do Ingá e sua turma

Rogerinho do Ingá e sua turma

Divulgação

Sério mesmo: vejo Choque de Cultura Show, na Globo, com a maior boa vontade do mundo, prontíssimo para dar muita risada com os comentários toscos que aqueles ogros fazem sobre filmes. Mas não rola.

Neste último domingo estava eu lá vendo a nova temporada do programete quando, repentinamente, notei que não estava dando uma risada sequer. Eles estavam falando sobre Capitão América 2: Soldado Invernal, excelente filme aliás. Mas, apesar de simpatizar com os caras, de curtir algumas coisas que eles já fizeram no Youtube, na Globo simplesmente não rola. Na verdade, nem no Youtube rola muito, só às vezes, mas na TV a mágica não acontece.

Aliás, esse texto saiu a partir de um comentário que fiz no Twitter, onde escrevi: “Posso ser sincero? Não consigo rir de nenhuma piada, zero, nada do Choque de Cultura na Globo”. Achei que fosse o único, mas qual não foi minha surpresa ao ver várias outras pessoas dizendo a mesma coisa.

No Choque deste domingo eles até tiveram uma sacada boa ao brincar com o Capitão América não ser grande coisa, porque se fosse bom mesmo seria General América. Isso foi divertidinho, mas insuficiente para arrancar risos. Valeu pela ironia.

No geral, as piadas do grupo soam um tanto quanto forçadas, pouco naturais. Dá para imaginar os roteiristas dizendo “vamos escrever esse lance aqui assim, que vai bombar. Olha como a gente é esperto”. Os diálogos feitos para serem engraçados, via de regra, dão a impressão de serem construídos demais e aí a espontaneidade vai embora.

Como dito acima, simpatizo demais com a turma dos motoristas que falam sobre cinema, esse conceito aí é bem engraçado e faz todo o sentido, já que hoje em dia todo mundo parece ser um crítico de cinema. Rogerinho do Ingá e seus brothers parecem ser gente finíssima, com quem dá para jogar conversa fora durante horas. Mas têm de ser mais engraçado e menos esquemáticos.