Odair Braz Jr Numa entrevista, pedi para Orlando Drummond fazer a voz do Scooby

Numa entrevista, pedi para Orlando Drummond fazer a voz do Scooby

O maior dublador do Brasil morreu nesta terça (27), aos 101 de idade; Sua obra gigantesca está presente na vida de todo mundo

  • Odair Braz Jr | Do R7

A lista de dublagens de Orlando é quase infinita e estará por aí para sempre

A lista de dublagens de Orlando é quase infinita e estará por aí para sempre

Reprodução/Instagram

Não tem para ninguém: quando a gente aqui no Brasil pensa em dublagem, imediatamente vem à mente o Orlando Drummond. Todo mundo que viu TV, não importa a idade, pôde ouvi-lo colocar a voz em algum personagem de série, filme e desenho animado.

Drummond, que nos deixou hoje aos 101 anos, é uma instituição da dublagem brasileira e trabalhou nesta área desde o início dos anos 1940 (1942, para ser exato). Esteve presente em vários longas animados da Disney, como Branca de Neve e os Sete Anões, Alice no País das Maravilhas, Aristogatas, A Espada Era a Lei, Peter Pan, entre muitos outros. Quer dizer, só clássicos que todo mundo viu.

Na TV, ouvimos a voz de Orlando em centenas de séries animadas e seriados, como os da Hanna-Barbera e além. Foi ele quem dublou, durante décadas (e até uns anos atrás) o Scooby-Doo. O cachorrão é uma de suas marcas registradas e Drummond o interpretou nas mais variadas versões e séries que foram lançadas ao longo das décadas. Fez o Scooby tradicional, o filhote, o do cinema, o dos longas-metragens animados para TV e por aí afora. Também dublou o Bionicão, o Alf, Popeye, o Sargento Garcia (Zorro), o Vingador (de Caverna do Dragão). Fez voz ainda em animações como Speed Racer, He-Man (era o Gato Guerreiro/Pacato) mais um monte de séries dos anos 80, 90 e 2000 e uma outra infinidade de filmes.

Orlando foi um dos primeiros funcionários contratados pela clássica dubladora Herbert Richers, uma das pioneiras do ramo no Brasil e assim conseguiu atuar em todas essas produções e muitas outras. Sério: é quase incontável o número de obras nas quais ele participou. É ver algum filme antigão, dos anos 50, 60, 70, 80 e, se for dublado, a chance de encotrar Drummond no elenco é gigantesca. E, nem sempre, era algum dos personagens principais. Às vezes, era um tipinho que aparecia pouco e nem falava muito. Mas estava lá.

Scooby-Doo é um dos personagens que Orlando dublou por mais tempo

Scooby-Doo é um dos personagens que Orlando dublou por mais tempo

Divulgação

Tive a oportunidade de entrevistá-lo uma vez, no ano 2000. Falamos sobre algum personagem famoso que ele estava dublando em um filme que estava para estrear. Pois é, não me lembro qual o filme e nem o personagem, mas isso também não interessa muito. É que a estreia desta produção da qual não me recordo foi usada por mim apenas como uma desculpa para fazer uma entrevista com Drummond. Afinal, sempre o admirei demais.

Conversamos pouco sobre aquele trabalho mais recente e passamos a falar sobre sua carreira e todos os clássicos em que havia atuado. Óbvio que ele fez a voz do Scooby ao meu pedido (todo mundo deve ter pedido isso a ele). Durante a entrevista ele também contou que havia colocado a voz no Patolino, o pato maluco da Warner. Eu, burro, não lembrava e disse "é mesmo? Nossa, não lembrava". E aí, claro, ele também dublou o bicho para me fazer lembrar. Também me explicou como fazia o timbre para dublar o Vingador, vilão de Caverna do Dragão. Tudo inesquecível, óbvio.

Simpaticíssimo e engraçado demais, Orlando já tinha me mostrado ali por que era o maior dublador do Brasil. Título que será dele para sempre, sem dúvida. Ele se foi, mas a obra que deixa é de uma grandeza sem igual para todo mundo que gosta de cinema, TV e desenhos animados. Vale a pena continuar ouvindo sua voz em todas estas mídias. Sempre que você desconfiar que Drummond pode estar em alguma dessas produções, escolha a opção "Português". Assim, quando você menos esperar, poderá ouvir aquele timbre grave do maior dublador brasileiro de todos os tempos.

Últimas