'Rádio Eldorado' abre espaço ao indie

Nesta sexta-feira, 7, às 23h, a Rádio Eldorado estreia uma nova atração em sua grade. Com enfoque na música alternativa, o Programa de Indie será comandado por Bruno Capelas e Igor Müller.

"Queremos que o programa seja informal, mas não desinformado. É como se fôssemos amigos ouvindo música na sala de casa", explica Müller, que também é responsável pela programação musical da rádio de segunda a sexta-feira, das 9h30 às 12h, e apresenta semanalmente o De Tudo Um Pop, quadro no programa Fim de Tarde.

"O núcleo da programação está nos anos 1980 e 1990, que é quando o indie fervilha, explode e se torna mainstream, chegando a confundir as coisas", conta Capelas, que é editor do Link, do Estadão, e apresenta o Hyperlink, também no Fim de Tarde da Eldorado.

Desde artistas clássicos como Velvet Underground e Big Star até revelações da cena contemporânea, o Programa de Indie terá sua playlist centrada nas bandas que desafiaram o cenário mainstream. "Em 1967, o Velvet Underground rompeu com vários padrões da música hegemônica da época", afirma Müller.

Indie, underground, alternativo… a música independente é difícil de se definir, mas talvez por isso pode abarcar gêneros muito diferentes entre si. "Não é apenas lançar por uma gravadora independente", pondera Capelas, lembrando que vários dos clássicos indies foram publicados por selos tradicionais. "É um jeito de se ver a música", acrescenta.

Apesar de privilegiar a estética independente, os apresentadores contam que eventualmente é possível que tragam canções pouco conhecidas de grupos maiores ou projetos paralelos de músicos. Artistas nacionais também estarão no cardápio, embora sejam "diferentes do mundo anglófono, apesar de alguns pontos de contato", como define Müller.

Para aquecer os ouvidos de quem quiser sintonizar no 107,3 e acompanhar o programa, Capelas e Müller publicaram uma lista com dez álbuns alternativos fundamentais.

A princípio, os primeiros programas terão uma hora de duração e contarão apenas com os apresentadores tocando as músicas e conversando a seu respeito, contextualizando cada faixa. No entanto, Müller e Capelas pretendem produzir edições especiais, entrevistas e outras novidades.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.