Viagens Descubra os incríveis cenários da mítica Patagônia Argentina

Descubra os incríveis cenários da mítica Patagônia Argentina

Com fronteira aberta e protocolos seguros, esta é a oportunidade que os viajantes aguardavam para desfrutar passeios ao ar livre

  • Viagens | Cleide Oliveira, Do R7 Conteúdo e Marca

Pinguins-de-magalhães, em Tierra del Fuego (Ushuaia)

Pinguins-de-magalhães, em Tierra del Fuego (Ushuaia)

Angus Buscaglia/Unsplash

Beleza natural deslumbrante ao sul do território argentino. Essa é a melhor forma de definir, em poucas palavras, a experiência única de visitar a Patagônia formada pelas províncias La Pampa, Neuquén, Río Negro, Chubut, Santa Cruz e Tierra del Fuego. Também compõem a região a Antártica e as Ilhas do Atlântico Sul. Da região dos lagos, com seus vilarejos de picos nevados, passando pelo santuário de vida marinha na Península Valdés ao leste e até os desertos em estâncias acidentadas, com geleiras derretendo ao sul, praticamente não há limites sobre as maravilhas que os olhos podem ver. O horizonte é extenso, gelado e... inesquecível.

Mas o que torna esta integrante da Cordilheira dos Andes tão charmosa e atraente aos turistas? Em parte, a vastidão da fronteira e a sensação de proximidade com o “fim do mundo”. Suas estradas rústicas levando à Geleira Perito Moreno e ao Monte Fitz Roy exibem paisagens vibrantes, enquanto pinguins-de-magalhães e albatrozes desfilam na reserva natural de Punta Tombo. O desafio é escolher entre os passeios mais interessantes que a região oferece e que se encontram novamente disponíveis, com protocolos sanitários seguros e opções acessíveis de gastronomia, hospedagem e serviços para os visitantes.

Geleira Perito Moreno, em Calafate (Santa Cruz)

Geleira Perito Moreno, em Calafate (Santa Cruz)

Vince Veras/Unsplash

A partir de 1º de outubro, as fronteiras argentinas foram abertas aos viajantes dos países vizinhos e sem a necessidade de quarentena na chegada. Não há mais desculpas porque não faltam motivos para viver experiências que só o país da natureza tem para oferecer.

E não é só: no dia 1º de novembro o país abriu suas portas, rotas, montanhas, lagos, mares, geleiras e cultura para viajantes de todo o mundo. Então, o que está faltando?

Requisitos para viajar para a Argentina:
- Plano de vacinação completo aplicado pelo menos 14 dias antes da sua chegada.
- Resultado de PCR negativo nas 72 horas anteriores ao envio.

Mas antes de embarcar, vamos aos protocolos:
● Utilizar máscara nos locais públicos;
● Manter distância de dois metros entre as pessoas;
● Lavar bem as mãos;
● Utilizar álcool em gel;
● Evitar colocar as mãos no rosto ou ajeitar a máscara com frequência;
● Procurar realizar mais atividades ao ar livre do que em ambientes fechados.

Melhores passeios

Puerto Madryn, Chubut

Puerto Madryn, Chubut

Gustavo Moreno/Unsplash

Há pelo menos quatro locais do Patrimônio Mundial  classificados pela UNESCO para destacar: o Parque Nacional Los Glaciares, La Cueva de las Manos, o Parque Nacional Los Alerces e a Península Valdés. Esses são apenas alguns entre os lugares mais atrativos da região, que oferece roteiros para os mais diversos perfis. Confira a seguir onde ir e o que fazer para se divertir ao longo de toda a Patagônia Argentina.

Bariloche

San Carlos de Bariloche

San Carlos de Bariloche

Emilio Lujan/Unsplash
Río Negro, Bariloche

Río Negro, Bariloche

Pablo Manzoni/Unsplash

Bons pontos de conexão (aeroporto, ônibus direto de e para Buenos Aires) fazem de Bariloche o lugar ideal de partida para uma viagem de ida e volta pela Patagônia. Mas para ir além do óbvio, que seriam as estações de esqui, a combinação de montanhas, lagos e bosques verdes resultam em um belíssimo passeio.

A sugestão é fazer um tour panorâmico pelo Circuito Chico, percorrendo os 60 quilômetros entre o centro da cidade e o Hotel Llao Llao com sua arquitetura dos anos 1940. Cerro Campanário, uma das montanhas mais importantes da região, é parada obrigatória nesse roteiro. Cerro Otto, Cascada Los Cántaros,  o Bosque Arrayanes e a Rota dos 7 Lagos (Nahuel Huapi, Correntoso, Espejo Grande e Espejo Chico, Traful, Falkner, Villarino e Hermoso) completam a lista de atividades perfeitas e inusitadas de quem vai a Bariloche.

Lago Falkner

Lago Falkner

Omer Dvori/Unsplash
Bosque de Arrayanes, Lago Nahuel Huapi

Bosque de Arrayanes, Lago Nahuel Huapi

Claudio Antonelli/Unsplash
El Chálten, Santa Cruz

El Chálten, Santa Cruz

Juan Pablo Mascanfroni/Unsplash

A capital mundial do trekking da Argentina é também a vila mais jovem da Patagônia. Mesmo para os que não gostam de caminhadas, as trilhas bem marcadas são comparativamente fáceis e um convite para conhecer. O Fitz Roy e o Cerro Torre são as montanhas mais populares desta zona, também e principalmente para os escaladores. Outro destaque é a geleira Viedma.

El Chálten, Santa Cruz

El Chálten, Santa Cruz

Szabolcs Papp/Unsplash

Geleira Perito Moreno

Geleira Perito Moreno

Geleira Perito Moreno

Ryuta F. Aoz/Unsplash

El Calafate está localizado a poucas horas de El Chaltén de ônibus e é a base para excursões ao famoso glaciar Perito Moreno. Em nenhum outro lugar do mundo você pode chegar tão perto de uma geleira. A vista das várias plataformas é extraordinária, pois há possibilidade de ver o gelo desmoronando à sua frente em total segurança (as plataformas estão localizadas em uma península de frente para a geleira). Além disso, você também pode optar por fazer um passeio de barco ou até mesmo uma caminhada no gelo.

Fauna marinha é um dos destaques no deslumbrante cenário da Patagônia Argentina

Fauna marinha é um dos destaques no deslumbrante cenário da Patagônia Argentina

Gonzalo Kaplanski/Unsplash

Com surpreendente biodiversidade e fauna marinha, a paisagem da Patagônia Atlântica é formada por grandes colônias de leões e elefantes-marinhos, golfinhos e, é claro, a Baleia Franca Austral, monumento natural da região. Tudo isso acontece em Puerto Madryn, onde há passeios imperdíveis como o Museu Oceanográfico e de Ciências Naturais, Ecocentro Puerto Madryn, Paseo de los Artesanos e uma vista incrível do píer.

Tierra del Fuego

Tierra del Fuego, Ushuaia

Tierra del Fuego, Ushuaia

Diogo Hungria/Unsplash
Fín del Mundo, Ushuaia

Fín del Mundo, Ushuaia

Juan Pablo Mascanfroni/Unsplash

A Terra do Fogo é a província localizada ao sul da Argentina, tendo Ushuaia como sua capital e ponto urbano mais austral do mundo. Ali, onde ontanha e mar combinam uma composição singular, se localiza também o último trecho da Cordilheira dos Andes. O cenário inclui geleiras, florestas densas, lagos, turfeiras, além de vales e costa litorânea.

É um ponto de partida para navegar pelo Canal de Beagle e Estreito de Magalhães, conhecer o farol Les Éclaireurs, com inúmeras espécies de fauna e aves marinhas em suas ilhas, entre elas o pinguim-rei. O Parque Nacional da Terra do Fogo concentra florestas e espécies protegidas, onde vivem raposas vermelhas, guanacos, coelhos, castores e condores.

Tierra del Fuego, Ushuaia

Tierra del Fuego, Ushuaia

Juan Pablo Mascanfroni/Unsplash

Gastronomia

Na Patagônia Argentina, os sabores também contribuem para a experiência única. São pratos e sabores tão bem definidos, que só ficam melhores quando combinados com vinhos locais e cervejas produzidas artesanalmente na região. Entre os pratos mais famosos estão o cordeiro patagônico, carnes de caça como a dos cervos e o imperdível bife de chorizo.

Centollas ou king crabs

Centollas ou king crabs

HH/Pexels

Para os amantes de peixes e frutos do mar, a recomendação é provar as centollas ou king crabs, espécie de caranguejo gigante muito apreciado em Ushuaia. A merluza negra também é estrela do cardápio local, pescado nobre também conhecido como bacalhau das profundezas. E, como quem vai à Patagônia do lado argentino não pode evitar, as famosas empanadas podem (e devem) ser saboreadas em toda sua plenitude: recheadas de queijo, carne, cebola, frango, enfim... fritas ou assadas, são um prato tradicional que não pode ficar de fora desta viagem.

Para encerrar com maestria uma refeição argentina, o doce ou geleia de calafate é definitivamente a sobremesa de El Fín del Mundo, no melhor sentido da palavra. Parece um doce de jabuticaba, mas apenas na aparência; seu gosto é único e sem possibilidade de imitações! Ah, e não podem ficar de fora da experiência gastronômica as medialunas doces ou salgadas; os alfajores e outra celebridade no mundo da culinária argentina: o incrível doce de leite.

Cenários deslumbrantes e muitas opções de passeios te aguardam no “fim do mundo”

Cenários deslumbrantes e muitas opções de passeios te aguardam no “fim do mundo”

Unsplash

Leia mais: Veja 5 motivos para colocar Mendoza em seu roteiro de viagens
Leia mais: Buenos Aires encanta com seu charme europeu e turismo acessível

Últimas