Viagens Governo vai avaliar suspensão de cruzeiros, diz ministro da Saúde

Governo vai avaliar suspensão de cruzeiros, diz ministro da Saúde

Ministérios dialogam e se reúnem nesta segunda-feira para deliberar sobre a situação dos navios

  • Viagens | Sarah Teófilo, do R7, em Brasília, e Daniel Trevor, da Record TV

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga

Marcelo Camargo/Agência Brasil - 20.12.2021

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, afirmou nesta segunda-feira (3) que o governo vai verificar a necessidade de mudança na portaria editada em outubro do ano passado que autorizou a retomada da operação dos navios de cruzeiro na costa brasileira. Os cruzeiros estavam suspensos desde o início da pandemia, mas as atividades foram retomadas em novembro.

"Tem uma portaria que já foi editada. Vamos observar a adequação dessa portaria, vamos verificar a necessidade de alguma alteração, e vamos na ponta saber como a Anvisa e as secretarias estaduais e municipais estão operacionalizando essa questão", afirmou o ministro.

Na última sexta-feira (31), diante de surtos de Covid-19 em cruzeiros na costa do Brasil, a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) recomendou ao Ministério da Saúde a suspensão provisória da temporada de navios. De acordo com a agência, a orientação se deve especialmente ao aparecimento e à transmissão da variante Ômicron em território nacional.

No domingo, a agência informou que contraindica embarques em navios de cruzeiro neste momento e reiterou orientação para que seja suspensa a temporada de atividades dos navios na costa brasileira.

Queiroga ressaltou nesta segunda-feira que a decisão sobre os cruzeiros será tomada por meio de uma ação coordenada pela Casa Civil e que envolverá os ministérios da Saúde, da Infraestrutura, do Turismo e da Justiça e Segurança Pública. O R7 apurou que o secretário-executivo do Ministério da Infraestrutura, Marcelo Sampaio, participou na manhã desta segunda-feira de uma reunião com o ministro do Turismo, Gilson Machado, e representantes das empresas de cruzeiros.

Outra reunião será realizada à tarde, dessa vez no Ministério da Saúde e com representantes dos estados e municípios que recebem os cruzeiros. A questão será deliberada oficialmente em reunião às 16 horas, na Casa Civil.

Em nota, os quatro ministérios informaram que as respectivas áreas técnicas avaliam, junto com estados, municípios e empresas de turismo, a recomendação da Anvisa sobre a suspensão provisória da temporada de navios de cruzeiro. "Após o posicionamento de todos os envolvidos, técnicos e representantes dos ministérios da Saúde, Justiça e Segurança Pública, Infraestrutura, Turismo e da Anvisa, se reunirão, na Casa Civil, para discussão e possível deliberação sobre o assunto", explicou.

Situação dos cruzeiros

O Brasil tem, atualmente, cinco cruzeiros na costa, e em todos há casos da doença, segundo a Anvisa. Na sexta-feira, dois navios – o Costa Diadema, em Salvador, e o MSC Splendida, que está em Santos – tiveram suas atividades interrompidas. Ao todo, foram identificados 51 tripulantes e 27 passageiros com Covid-19, além de 54 pessoas que tiveram contato com infectados no cruzeiro do MSC. 

No sábado (1º), a agência notificou a empresa sobre o impedimento de embarques previstos para o domingo (2) e solicitou que a empresa notificasse os viajantes. No caso do Costa Diadema, foram confirmados 68 casos de Covid-19 na quarta-feira (29), sendo 56 entre tripulantes e 12 entre passageiros. 

A operação do Costa Diadema foi interrompida na quinta-feira (30). A Anvisa determinou que o navio seguisse ao seu destino final, Santos (SP), para que fizesse o desembarque de todos os passageiros, exceto os que tiveram teste positivo para Covid, que saíram do navio ainda em Salvador, onde estava a embarcação.

Outra embarcação, a MSC Preziosa, atracou no domingo (2) no porto do Rio de Janeiro (RJ), também com casos de Covid-19. "O desembarque dos passageiros foi iniciado após avaliação da situação epidemiológica a bordo pelas autoridades de saúde", informou a agência no domingo (2).

Últimas