Vidente incompreendida exige reconhecimento

Sensitiva famosa entra na justiça para que seu dialeto se torne oficial e suas revelações sejam devidamente respeitadas

Sempre à frente de seu tempo, mãe Dilmá da Bulgária ficou conhecida mundialmente quando, em uma Assembleia da ONU, desafiou os países ali representados a criarem uma tecnologia para estocar o vento e resolver, de uma vez por todas, o problema da energia mundial.

Em seu brilhante discurso, nossa representante colocou em xeque os líderes das maiores nações do mundo, dizendo: “Até agora, a energia hidrelétrica é a mais barata. Em termos do que ela dura, da sua manutenção e também pelo fato da água ser gratuita e da gente poder estocar. O vento podia ser isso também, mas você não conseguiu ainda tecnologia para estocar vento. Então, se a contribuição dos outros países, vamos supor, que seja desenvolver uma tecnologia que seja capaz de, na eólica, ter uma forma de você estocar”.

Vidente, sensitiva e à frente de seu tempo

Vidente, sensitiva e à frente de seu tempo

Domínio Público

Muito sensitiva, ao perceber que os mandatários das demais nações não estavam compreendendo tamanha revelação, mãe Dilmá prosseguiu: “Porque o vento, ele é diferente em horas do dia. Então, vamos supor que vente mais à noite, como é que eu faria para estocar isso? Hoje, nós usamos as linhas de transmissão. Você joga de lá pra cá, de lá pra lá, para poder capturar isso. Mas se tiver uma tecnologia desenvolvida nessa área, todos nós nos beneficiaremos, o mundo inteiro!” Mesmo diante de uma mente visionária como essa, nenhum país levou a ideia a sério e mãe Dilmá se sentiu como quem joga pérolas aos porcos.

Aqui no Brasil, mãe Dilmá também é responsável por uma série de revelações, incluindo o fato de que atrás de toda criança há um ser oculto. É claro que só ela seria capaz de perceber isso, mas generosa que é, compartilhou com todo o país em um discurso, realizado em seu próprio dialeto – o dilmês – em um belo 12 de outubro: “Hoje é o Dia das Crianças. O dia da criança é o dia da mãe, do pai e das professoras, mas também é o dia dos animais. Sempre que você olha uma criança, há sempre uma figura oculta, que é um cachorro atrás, o que é algo muito importante.”

Ainda sobre crianças e família, mãe Dilmá revelou que: “Falou de família, falou de criança. Fala da mulher e fala da mãe. Fala também do pai, mas fala da mãe, que tá ali. Da porta pra dentro, a mãe, ela é essencial. Da porta pra fora os dois são muito importantes. Agora, da porta pra dentro, o pai também é importante.”

É fato que declarações tão profundas não poderiam ser compreendidas por pessoas comuns, o que acabou fazendo com que muitas de suas grandes revelações fossem ridicularizadas. Por esta razão, além de exigir na justiça a proibição de que os produtos de sua vidência sejam usados em memes e paródias musicais, mãe Dilmá também luta para que seu dialeto, o dilmês, seja oficializado e se torne disciplina obrigatória nas escolas. O processo ainda corre em segredo de justiça, mas entre os poucos detalhes que foram divulgados para a imprensa estão os seguintes:

Pela liberação do uso de seu linguajar riquíssimo, Dilmá abriu mão de todos os seus direitos, preferindo doar os royalties para seu amigo e mentor Apedeuto Galináceo. Inicialmente será utilizado um mecanismo de rastreamento nas redes sociais que identificará o uso do dialeto – tanto por texto como por áudio – e, ao final de um determinado período, o valor correspondente ao uso será debitado no cartão de crédito do usuário.

Se mãe Dilmá ganhar a ação, o programa “Sua fala, minha grana” poderá ser implementado em versão beta no segundo semestre de 2022 e, em versão estendida a partir de janeiro de 2023. Vamos acompanhar de perto o desenrolar desse momento histórico para o crescimento do nosso país.

Esta crônica é fictícia, embora poderia não ser...

Últimas