Logo R7.com
Logo do PlayPlus
R7 Música
Publicidade

Germano Mathias, o catedrático do samba, morre, aos 88 anos

O músico, que foi autor de ‘Minha Nega na Janela’ e tinha um jeito peculiar de interpretar, enfrentava uma severa pneumonia

Música|Do R7

Germano Mathias trabalhou como camelô, marreteiro e vendedor de pomadas e sabão
Germano Mathias trabalhou como camelô, marreteiro e vendedor de pomadas e sabão Germano Mathias trabalhou como camelô, marreteiro e vendedor de pomadas e sabão

O cantor e sambista Germano Mathias morreu nesta quarta-feira (22), aos 88 anos. A confirmação veio de sua produtora, Angélica Tobias. Segundo ela, o músico enfrentava uma pneumonia muito severa, contraída quando ele foi hospitalizado para tratar de uma anemia. A morte também inspirou um post na conta oficial de Germano no Facebook: “Neste momento, infelizmente informamos que o Catedrático do Samba deixou esse plano. Indo para as esferas superiores”.

Catedrático do samba era, de fato, um de seus apelidos, especialmente por causa do jeito peculiar com que interpretava os sambas, sempre de forma sincopada, e, como acompanhamento, a batida com a tampa de uma lata de graxa — herança dos engraxates da praça da Sé, com quem ele conviveu no início da década de 1950.

Germano nasceu no bairro do Pari, em 2 de julho de 1934, e era filho de imigrantes portugueses. Aos 14 anos, foi convidado a integrar a escola de samba Rosas Negras, na ala da bateria.

Ele trabalhou como camelô, marreteiro e vendedor de pomadas e sabão até iniciar a carreira de músico, no dia 26 de outubro de 1955, quando se apresentou no quadro "À Procura de um Astro", do programa Caravana da Alegria, que J. Silvestre, Cláudio Luna e Élcio Álvares apresentavam na rádio Tupi de São Paulo. Germano defendeu Minha Nega na Janela, composição sua com Firmo Jordão, que mais tarde seria um dos seus sucessos em gravação pela Polydor. Foi o melhor entre 300 candidatos e ganhou um contrato com a Tupi, com duração de 14 meses.

Publicidade

Em 1957, o músico ganhou o troféu Roquette Pinto de Revelação Masculina (ao lado de Maysa, que ganhou o de Revelação Feminina), o que lhe deu um impulso na carreira. Ele já era conhecido quando começou a gravar composições de Zé Keti, que conheceu na Mangueira, no Rio.

O sucesso, porém, não durou muito — com a ascensão do rock nacional, Germano deixou de ser convidado para shows e de gravar discos para trabalhar como oficial de justiça criminal. Mas desistiu da profissão quando acompanhou a polícia em um mandado de prisão e foi recebido a tiro. “Ser sambista é difícil, mas menos perigoso”, dizia.

Publicidade

Seu ressurgimento aconteceu no fimdos anos 1970, quando Gilberto Gil gravou o disco Antologia do Samba-Choro, com diversas composições de Germano. Para sua decepção, a gravadora utilizou faixas antigas em vez de convidá-lo para regravá-las ao lado de Gil.

O disco fez sucesso e prontificou o relançamento de discos antigos de Germano por parte da RGE e da CID. Em 2004, o músico lançou Tributo a Caco Velho, em homenagem ao compositor gaúcho que tanto o influenciou, morto em 1971.

Publicidade

Em 2021, o compositor, cantor e produtor musical Manu Lafer assinou um tributo grandioso a Germano Mathias. O álbum #PartiuZePelintra – Tributo a Germano Mathias traz muitos nomes de várias gerações da música brasileira, com 16 músicas.

Veja a publicação:

Neste momento, infelizmente informamos que o Catedrático do Samba deixou esse plano. Indo para as esferas superiores 🙏🙏 Gratos por tudo Germano Mathias !!!

Posted by Germano Mathias on Wednesday, February 22, 2023

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.