Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

Rita Lee ganha homenagem emocionante em show do filho Beto Lee na Virada Cultural

Manu Gavassi, Paula Lima e Débora Reis participaram do tributo, que aconteceu no Vale do Anhangabaú

Música|

Beto Lee no show em homenagem à mãe, Rita Lee, na Virada Cultural de 2023
Beto Lee no show em homenagem à mãe, Rita Lee, na Virada Cultural de 2023 Beto Lee no show em homenagem à mãe, Rita Lee, na Virada Cultural de 2023

Com 30 minutos de atraso, os apresentadores Pepita e Manoel Soares subiram ao palco da Arena Anhangabaú, o principal da Virada Cultural 2023. Eles estavam ali, às 12 horas, para falar da homenagem que Rita Lee ganharia do filho guitarrista Beto Lee e das convidadas Manu Gavassi e Paula Lima. O show foi aberto pela vocalista Débora Reis, cantando Saúde.

Havia poucas pessoas na pista, como acontece, em geral, em shows neste horário, manhãs de domingo. Flagra esquentou mais a plateia, presenteada com uma ótima qualidade de som. Agora só Falta Você, mais rocker, com linhas de baixo (de Lee Marcucci) e guitarra (de Beto Lee), fez o público se jogar ainda mais no som. O clima na plateia era de bastante tranquilidade.

Ando meio Desligado abriu a fase Mutantes, que Beto chamou de "power trio". Havia um arranjo novo, cuidadoso, que faz a canção pular uma década inteira e se juntar a Mania de Você. Impensável unir a Rita "dozmano" (como ela os chama em suas autobiografias) Arnaldo Baptista e Sérgio Dias com a Rita de Roberto de Carvalho, mas deu certo.

• Compartilhe esta notícia no WhatsApp

Publicidade

• Compartilhe esta notícia no Telegram

Música que nunca saiu dos shows de Rita, segundo Beto, e que apareceu em um período de transição de sua carreira, Coisas da Vida lembrou uma das grandes frases da cantora: "Eu não tenho hora pra morrer, por isso sonho".

Publicidade

Rita amava mesmo essa canção, feita em um padrão de balada pouco usado pela autora.

Beto falou do Tutti Frutti, a banda que Rita integrou nos anos 1970. Lembrou que o baixista Lee Marcucci, ex-integrante do grupo, era pai de muitos baixistas no país, e começou Jardins da Babilônia. Outra face de Rita entrava no show. Beto já disse em entrevistas ser essa a sua preferida.

Publicidade

Emoção e sucessos

A cantora de soul Paula Lima veio logo depois, com a música Nem Luxo, nem Lixo. Rita nunca foi do soul, e isso criava curiosidade. Como seria Paula cantando Rita?

Paula tem uma grande voz, cultiva carinho verdadeiro de seu público, mas insiste em um vibrato de oscilação quase caricata. Depois da canção, ela se emocionou, abraçou Beto e saiu do palco. Doce Vampiro fez Débora Reis retomar o show com a mesma vibração.

Todas as Mulheres do Mundo foi dedicada às mulheres que estavam no Anhangabaú e Esse tal de Roque Enrow trouxe Manu Gavassi ao palco.

Mas foi Ovelha Negra que fez as pessoas erguerem as mãos e se emocionarem de verdade. A última canção mostrou a força da Rita pop: Lança Perfume trouxe de volta as convidadas Paula Lima e Manu Gavassi.

Virada Cultural tem movimentação intensa, reforço policial e revista

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.