Logo R7.com
Logo do PlayPlus
R7 Nitro
Publicidade

Diretor de No Rest for the Wicked defende acesso antecipado e faz comparação curiosa com Dark Souls

O diretor de No Rest for the Wicked defendeu a ideia de lançar o jogo em acesso antecipado, após uma semana de intensa coleta de feedback...

Outer Space|Do R7

O diretor de No Rest for the Wicked defendeu a ideia de lançar o jogo em acesso antecipado, após uma semana de intensa coleta de feedback dos fãs, e fez um comentário curioso sobre o jogo que foi, sem dúvida, uma importante fonte de inspiração para o estúdio: Dark Souls.

Depois de causar boa impressão por via de trailers e prévias, No Rest for the Wicked foi lançado na semana passada por acesso antecipado no PC. Como costuma acontecer com os lançamentos desta natureza, os primeiros dias no Steam foram repletos de críticas mistas: grandes problemas de desempenho, ergonomia e durabilidade ridiculamente baixa das armas e vários bugs foram problemas apontados imediatamente pelo público, que agora conta com a continuidade do desenvolvimento no Moon Studios e o lançamento de hotfixes regulares.

“Ainda não completamos uma semana de Acesso Antecipado e já está bem claro que optar pela EA é uma das melhores decisões que poderíamos ter tomado”, escreveu no X o diretor Thomas Mahler.

“Vejo que algumas pessoas ainda estão irritadas com o motivo de jogos como Wicked, Hades 2, o novo jogo do Larian, etc, serem lançados em acesso antecipado, mesmo que o estúdio devesse ter fundos para terminar o jogo e lançá-lo então. Mas isso é olhar para um problema complexo através de lentes muito simples: Acho que à medida que os jogos se tornam cada vez mais complexos e sofisticados, veremos alguma forma de Acesso Antecipado acontecer cada vez com mais frequência. Falando por experiência própria, não poderíamos ter lançado o Wicked 1.0 sem poder ver todos os dados que estamos vendo agora e obter todo o feedback dos usuários. E me refiro a usuários reais, não a um Focus Testing Group”, ponderou o diretor de No Rest for the Wicked.

Publicidade

Mahler então fez uma reflexão sobre como a FromSoftware poderia ter se beneficiado do advento do acesso antecipado com Dark Souls, que poderia ser um jogo ainda melhor, caso a produtora japonesa tivesse a oportunidade de ouvir os fãs antes de completar o desenvolvimento.

“Mesmo se tivéssemos 2 a 3 vezes mais funcionários, teria sido simplesmente impossível, o produto é uma fera muito complexa para razoavelmente esperar isso. 9 mulheres não conseguem ter um filho em um mês e tudo mais. E mesmo historicamente falando, acho que alguns jogos teriam se beneficiado do Acesso Antecipado antes mesmo disso existir. Imagine se Dark Souls 1 estivesse em acesso antecipado – em vez de correr para lançar um produto em caixa em um estado um tanto inacabado. Eles provavelmente teriam sido capazes de olhar para a segunda metade do jogo e ainda formar e polir totalmente o áreas menos polidas como Lost Izalith, etc”.

Publicidade

“‘Você poderia fazer isso através de atualizações e DLC!’, eu ouço você dizer – Não, muitas vezes você não conseguiria. Lançar jogos é sempre incrivelmente difícil e estressante e, na maioria das vezes, significa fazer concessões bastante drásticas, especialmente se o seu produto estiver tentando realizar algo novo. E se você não sabe que não há problema em trazer certos recursos e escopos após o fato, você acabará cortando antes de chegar ao mercado. Portanto, mesmo que você não goste da ideia do Acesso Antecipado: é uma maneira de permitir que os desenvolvedores realmente aperfeiçoem um produto ao longo do tempo, então tente entender que há valor nisso. Estou confiante de que veremos jogos sendo criados através de programas de acesso antecipado que nunca teriam sido feitos sem o AA”, concluiu o diretor.

Em uma mensagem publicada em seguida, Mahler incentivou a Sony e a Nintendo a adotarem o acesso antecipado em suas plataformas, seguindo os passos do Xbox, que já é adepto do formato.

Publicidade

“A indústria está evoluindo a um ritmo rápido e manter coisas que eram a norma há 5 a 10 anos é demasiado restritivo. Em última análise, as pessoas só querem jogar ótimos jogos. Não deveria importar como o jogo foi desenvolvido, apenas o que foi. E se os jogadores não puderem jogar uma ótima experiência em sua plataforma, você estará prestando um péssimo serviço a eles”.

No Rest for the Wicked está atualmente disponível em Acesso Antecipado no PC. O jogo será lançado também para PlayStation e Xbox em data ainda indefinida de 2024.

O post Diretor de No Rest for the Wicked defende acesso antecipado e faz comparação curiosa com Dark Souls apareceu primeiro em Outer Space.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.