Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

Drama ambientado na ditadura chilena tem filmagens encerradas

Flavio Ricco|Do R7 e Flavio Ricco

Gabrielle Fleck e Edson Celulari estão no elenco do drama “Ainda Somos os Mesmos”
Gabrielle Fleck e Edson Celulari estão no elenco do drama “Ainda Somos os Mesmos” Gabrielle Fleck e Edson Celulari estão no elenco do drama “Ainda Somos os Mesmos”

Chegaram ao fim as filmagens de “Ainda Somos os Mesmos”, o mais novo trabalho do cineasta Paulo Nascimento. O drama mergulha na catástrofe de 1973, quando o Chile sofre um golpe de Estado e vê ceifada sua democracia. Augusto Pinochet assume o comando em regime de ditadura e, naquela convulsão social, 40 mil pessoas são torturadas no Estádio Nacional de Santiago.

O longa tem no elenco Edson Celulari, Carol Castro, Gabrielle Fleck e Lucas Zaffari, com produção da Accorde Filmes e distribuição da Paris Filmes. A estreia está prevista para o primeiro trimestre de 2023.

As negociações para lançamento miram o cinema, sem desconsiderar as principais plataformas de streaming. A trilha sonora inclui a música “Como Nossos Pais”, composta por Belchior na década de 1970, interpretada por Thedy Corrêa, vocalista da banda Nenhum de Nós.

Rodado no Chile e no Brasil, nas cidades de Porto Alegre e Novo Hamburgo, sobretudo nos centros históricos que remontam à arquitetura daquele período, o longa destaca a jornada de brasileiros que buscam fugir do conflito e são aterrorizados no Estádio.

Publicidade

Gabriel (Zaffari) tenta trazer de volta a namorada, Helena (Fleck), raptada e sob forte ameaça. É quando o pai de Gabriel, Fernando (Celulari), usa de sua influência para tentar resgatá-los.

A partir dessa narrativa familiar, desdobram-se outras histórias de refugiados que procuram socorro para salvar a vida. Carol Castro interpreta uma dessas figuras: é a jovem Clara, que está enlouquecendo na Embaixada da Argentina, lembrando dos seus amores e familiares mortos pelo conflito.

“É um filme que faz uma abordagem diferente, pois centra no lado emocional das pessoas que viveram naquele período e, o mais importante, baseado em relatos reais”, declara Paulo Nascimento.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.