Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Melhor Não Ler
Publicidade

Se nem a Tia Crey escapou, imagine a 'festa' com as invasões em Brasília

Página em rede social que comenta (e detona) looks de famosos é penalizada após criticar o figurino de Janja Lula da Silva

Melhor Não Ler|Do R7

Agora, o babado da turma do ódio do bem deu lugar à repressão e cadeia
Agora, o babado da turma do ódio do bem deu lugar à repressão e cadeia Agora, o babado da turma do ódio do bem deu lugar à repressão e cadeia

A posse de Luiz Inácio Lula da Silva deu o que falar sob vários aspectos: a cor predominante em camisetas, bandeiras e bonés era o vermelho, sem praticamente nada de verde e amarelo e das 300 mil pessoas esperadas, havia apenas 20 mil simultaneamente (segundo o UOL, veja você!).

Aliás, sobre a posse do Biroliro, o mesmo UOL publicou: “Posse de Bolsonaro atrai 115 mil pessoas e não supera a de Lula em 2003”. Se o assunto mais importante é a comparação, por que não disseram que Lula 2023 não chegou nem na bota de Lula 2003? Bom, oportunidades vêm e vão, não é mesmo? E essa o UOL perdeu. Ou ignorou mesmo.

Mas o assunto aqui é a Tia Crey, aquela página que comenta e detona, sem dó nem piedade e com muito humor (às vezes, nem tanto), os looks do povo que se acha a última bolacha do pacote, quer dizer, das celebridades Brasil afora. A Tia resolveu criticar o figurino de Janja, a primeira-dama, e a comparou a uma paquita da Xuxa e “deu ruim” para ela.

Depois de emitir sua opinião, Tia Crey postou em seu Instagram que estava impedida de enviar mensagens via “direct”, pois, segundo a plataforma, teria publicado conteúdo que “viola as diretrizes da comunidade”.

Pois é, “meuzamigo”, se o povo do amor venceu não deixa passar nem sequer uma crítica a um figurino de gosto duvidável, imagine a festa que não vão fazer agora com as invasões que foram feitas em Brasília? Agora, o babado, a gritaria e a confusão da turma do ódio do bem deram lugar à repressão, força bruta e cadeia. Daqui pra frente, meus queridos, é só pra trás...

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.