Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Melhor Não Ler
Publicidade

Segure-se porque agora o Brasil vai decolar de vez

Projeto de Lei quer que expressão "vira-lata caramelo" seja manifestação cultural imaterial do Brasil. Agora não precisamos de mais nada!

Melhor Não Ler|Do R7

Vira-lata caramelo: R$ 3,5 milhões para transformá-lo no que ele já é
Vira-lata caramelo: R$ 3,5 milhões para transformá-lo no que ele já é Vira-lata caramelo: R$ 3,5 milhões para transformá-lo no que ele já é

Imagine gastar R$ 3,5 milhões para transformar uma coisa em algo que ela já é. Esta é a ideia do deputado federal Felipe Becari (UNIÃO/SP), autor do Projeto de Lei 1897/2023 que quer oficializar a expressão “vira-lata caramelo” como “manifestação cultural imaterial”.

Segundo levantamento do Ranking dos Políticos, o custo médio de um PL até a aprovação no Congresso é de R$ 3,5 milhões. Não, você não leu errado, são três milhões e quinhentos mil reais mesmo. E tudo isso por causa da brilhante ideia de reconhecer como manifestação cultural algo que, sem qualquer intervenção do governo, já o é. O próprio projeto afirma isso:

“Em 2020, com a divulgação da nova cédula de R$ 200, uma brincadeira na internet ganhou grande repercussão quando os brasileiros começaram a trocar a imagem do lobo-guará por um vira-lata. Na nota, estava ninguém menos que um caramelo”.

Os custos milionários vêm do fato de que todos os projetos de lei passam por um longo caminho, ocupando uma série de funcionários muito bem pagos supostamente para cuidar dos interesses da população.

Publicidade

De acordo com o site da Câmara dos Deputados, a tramitação até o momento foi:

• 13/04 – Mesa Diretora da Câmara dos Deputados (MESA) para apresentação;

Publicidade

• 22/05 – Novamente pela MESA para a apreciação das Comissões de Cultura (CCULT) e Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ);

• 23/05 – Dado como recebido pela CCULT;

Publicidade

• 23/05 – Encaminhado para publicação no Diário da Câmara dos Deputados (DCD);

• 05/06 – Designação do relator, deputado Marcelo Queiroz (PP/RJ);

• 06/06 – Definido o prazo para emendas ao projeto com cinco (sim, cinco!) sessões;

• 03/07 – Encerrou-se o prazo das sessões sem apresentação de emendas;

• Atualmente – PL aguarda o parecer do relator na Comissão de Cultura (CCULT).

Se você deseja se indignar um pouco mais – e tiver estômago para ver que o projeto dá até uma lacrada de leve citando “preconceito” e “inclusão” – leia o inteiro teor no link abaixo. Se bem que é sempre melhor não ler...

https://www.camara.leg.br/proposicoesWeb/prop_mostrarintegra?codteor=2258922

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.