Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

Saiba quais são as doenças mais comuns em cachorros e como é possível preveni-las 

Assim como os humanos, os animais precisam de cuidados e vacinas para evitar enfermidades que podem ser graves

RPet|Do R7

Algumas doenças são mais comuns nos cachorros
Algumas doenças são mais comuns nos cachorros Algumas doenças são mais comuns nos cachorros

A guarda responsável de um cachorro inclui, além de enchê-lo de carinho e diversão, cuidados com a sua saúde. Assim como os humanos, os cães precisam se alimentar bem, fazer atividade física, estar com as vacinas em dia, ser medicados contra pulgas e carrapatos e realizar check-up anualmente. Por eles não falarem, é fundamental que os tutores fiquem atentos a sinais que possam indicar um problema.

Algumas raças, como pug e buldogue, por exemplo, têm predisposição à síndrome braquicefálica, devido ao focinho mais achatado, mas existem doenças mais comuns entre os cachorros em geral, como otite, cinomose e até aquelas relacionadas aos cuidados com a boca do animal. Todas elas podem ser evitadas pelo tutor.

Abaixo, conheça essas enfermidades e saiba como preveni-las:

Otite

Se as orelhas do pet estão vermelhas, inflamadas, com secreção e cheiro ruim, talvez ele esteja com otite. A infecção no canal do ouvido dos cachorros é causada por ácaros, fungos ou bactérias. 

Publicidade

"Um cão saudável pode se contaminar ao brincar com um cãozinho afetado. As otites também podem ser causadas por corpos estranhos — ou seja, por alguma sujeirinha ou inseto que tenha entrado no conduto auditivo —, por pólipos e até serem secundárias a alergias. Nos casos crônicos, as orelhas podem ficar grossas ou com aspecto de crosta. Por conta da inflamação, os canais auditivos se tornam mais estreitos", explica Marcelo Quinzani, médico-veterinário e gerente do atendimento ao cliente da clínica Pet Care.

Cachorros com orelhas longas, como o cocker spaniel, têm propensão a desenvolver otite
Cachorros com orelhas longas, como o cocker spaniel, têm propensão a desenvolver otite Cachorros com orelhas longas, como o cocker spaniel, têm propensão a desenvolver otite

O especialista adverte que, em casos mais graves, os cachorros estão sujeitos a alterações neurológicas. Raças com orelhas longas, como o cocker spaniel, basset hound, golden retriever, dachshund, setter irlandês, pastor alemão e labrador, têm mais propensão a desenvolver otite.

Publicidade

"Uma boa higiene ajuda na prevenção, mas lembre-se de não usar cotonetes nem pinças durante a limpeza, para não machucar o seu melhor amigo e não empurrar a cera para dentro. Pegue um chumaço de algodão e, com o dedo indicador, limpe apenas a área externa. Vale a pena também colocar um pouco de algodão nos ouvidos antes do banho e de brincar na piscina, para evitar que entre água", ensina Quinzani.

Doença do carrapato

A doença do carrapato — transmitida pela picada do carrapato marrom — se apresenta em duas formas: erlichiose e babesiose; a primeira, causada pela bactéria Erhliquia canis;e a segunda, pelo protozoário Babesia canis. Nos dois casos, os parasitas entram na corrente sanguínea e atacam as células de defesa do corpo.

Publicidade

· Compartilhe esta notícia no WhatsApp

· Compartilhe esta notícia no Telegram

"Na fase inicial, os cães podem ficar amuados, com febre, dor nas articulações, vômitos, diarreia, mucosas pálidas e manchas na pele, principalmente na região da orelha, da barriga e da gengiva", diz Quinzani.

"Na fase crônica, o pet pode ter uma queda abrupta do número de plaquetas ou anemia, ficando sujeito a doenças secundárias e a ter órgãos vitais, como fígado, pulmões e rins, afetados. É importante saber que a porcentagem de animais contaminados é alta no Brasil. Se você já viu carrapatos no seu cachorro, leve-o para fazer um exame de sangue e saber se ele tem sorologia positiva", completa.

Para evitar a doença, não tem muito segredo. É importante manter o antipulgas e o anticarrapatos em dia.

Cinomose

Assim como os humanos, os cachorros precisam tomar vacinas para a prevenção de doenças
Assim como os humanos, os cachorros precisam tomar vacinas para a prevenção de doenças Assim como os humanos, os cachorros precisam tomar vacinas para a prevenção de doenças

Se para os humanos as vacinas são fundamentais para prevenir algumas enfermidades, com os cachorros acontece o mesmo. A cinomose é uma doença viral grave, transmitida pelo contato entre um cão doente e outro sem a vacina. "Ela afeta vários órgãos, não tem cura e é frequentemente fatal. Se o cãozinho sobrevive, normalmente fica com sequelas", alerta Quinzani.

Os principais sintomas são diarreia, vômito, secreção amarela nos olhos e nariz, tosse, pneumonia e, em casos graves, falta de coordenação motora, convulsões e paralisia. "A cinomose é mais comum em filhotes, que precisam tomar a vacina polivalente (V8 ou V10) e os reforços mensais até completar 4 meses de idade e, posteriormente, ser vacinados todos os anos. A vacina é 100% eficaz", afirma o veterinário.

Doença do verme do coração (dirofilariose)

A dirofilariose, também conhecida como doença do verme do coração, é transmitida por um mosquito encontrado, principalmente, em áreas litorâneas do Atlântico, bem como em regiões de represas.

"O coração do animal fica infestado com vários vermes no seu interior, e eles podem chegar a até 18 cm. Ao picar um cachorro contaminado, o mosquito se contamina e, quando picar outro cachorro, injetará o parasita, que se desenvolverá até chegar ao coração. Normalmente, são necessários vários anos até que os cães apresentem os primeiros sintomas, como tosse seca, falta de ar, fraqueza, apatia e perda de resistência", explica Quinzani.

Infelizmente, o único tratamento atual para a dirofilariose é uma cirurgia para retirar os vermes de dentro do coração. Por isso, a prevenção com o uso de medicamentos mensais ou injeção anual, além de coleiras repelentes, é obrigatória para animais que frequentam o litoral e outras áreas de risco.

Doença periodontal

A saúde bucal dos cachorros é fundamental e pode evitar doenças, como a periodontal, causada pelo acúmulo de placa bacteriana nos dentes. Por isso, os tutores têm a "missão" de escovar os dentes dos pets diariamente.

Os tutores devem escovar os dentes dos cachorros
Os tutores devem escovar os dentes dos cachorros Os tutores devem escovar os dentes dos cachorros

"Senão, a placa se mineraliza e vira tártaro. Daí em diante, podem surgir inflamações nas gengivas e o início da doença periodontal, que pode levar à perda de dentes e retração das gengivas e agravar doenças em órgãos vitais, como fígado, rins e coração. É preciso criar uma rotina de escovação todos os dias desde filhote. No início, pode ser um pouco difícil fazer seu pet se acostumar, mas não desista. Com o tempo, seu cãozinho vai aprender a gostar", diz o especialista.

"Uma boca saudável não pode apresentar mau hálito, sujeira nem placa bacteriana. Os dentes devem ser brancos, e a gengiva, rosa. Dentes amarelados, com crostas, gengivas escuras, com sangramento, nódulos e aumento de volume são sinais de alerta. Se esse for o caso do seu pet, agende uma consulta com um odontologista veterinário", complementa.

LEIA TAMBÉM: Pet South America: as novidades do mercado e tudo da maior feira pet da América Latina

" gallery_id="64df8058416eb974f5000435" url_iframe_gallery="rpet.r7.com/saiba-quais-as-doencas-mais-comuns-em-cachorros-e-como-preveni-las-17082023"]

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.