Logo R7.com
Logo do PlayPlus
R7 Viva a Vida
Publicidade

Chris Martin diz fazer uma única refeição e para de comer às 16h; profissionais alertam sobre riscos 

A prática é chamada de jejum intermitente, que consiste em só fazer refeições em uma janela específica de tempo

Bem Estar|Gilvan Marques, do R7

Chris Martin afirmou fazer uma única refeição e parar de comer às 16h
Chris Martin afirmou fazer uma única refeição e parar de comer às 16h Chris Martin afirmou fazer uma única refeição e parar de comer às 16h

Na semana passada, Chris Martin afirmou que faz uma única refeição no dia e para de comer às 16h. A revelação foi feita durante uma entrevista concedida ao podcast Conan O'Brien Needs a Friend. O vocalista do Coldplay teria se inspirado no cantor, compositor e guitarrista Bruce Springsteen.

"Na verdade, não janto mais. Paro de comer às 16h e aprendi isso depois de almoçar com Bruce Springsteen. Eu estava em uma dieta muito rigorosa, de qualquer maneira. Mas pensei: 'Bruce parece ainda mais em forma do que eu'. E Patti [esposa de Springsteen] disse que ele estava comendo apenas uma refeição por dia, então eu estava tipo: 'Bem, lá vamos nós, esse é o meu próximo desafio'", explicou o músico.

A prática adotada por Martin é conhecida como jejum intermitente, que consiste, basicamente, em só fazer refeições durante uma janela específica de tempo — apenas água, café e chás sem açúcar são liberados. Jejuar por determinado tempo ou por alguns dias tem sido, para algumas pessoas, uma maneira eficaz de perder peso.

Segundo nutricionistas ouvidos pela reportagem do R7, a dieta não é uma prática extremamente perigosa, mas, dependendo do caso, pode ser prejudicial para algumas pessoas, como gestantes, lactantes, idosos, crianças, indivíduos com diabetes e dependentes de insulina. O recomendável é sempre ter o acompanhamento de profissionais.

Publicidade

"Quando uma pessoa escolhe adotar hábitos diferentes do habitual, especialmente no caso de Chris Martin, que faz apenas uma refeição por dia, é de extrema importância que essa refeição possa nutri-lo adequadamente, para que ele não tenha nenhuma deficiência de nutrientes e não tenha nenhum problema de saúde futuro, como desnutrição, anemia e falta de vitaminas, entre outros que podem surgir", afirmou Marieli Sbardelotto, que é nutricionista e pós-graduanda em nutrição comportamental.

"É importante ainda que a pessoa respeite os limites que o corpo dela estabelece e, além do mais, mesmo com o jejum intermitente, manter uma alimentação saudável, rica em vitaminas e minerais, para continuar nutrindo o seu corpo, bem como [manter] o consumo de água", acrescentou Carol Faria, nutricionista com foco em saúde da mulher, com mais de 50 mil alunas.

Publicidade

Para Flávia Ramos, especialista em nutrição funcional, clínica e esportiva e personal diet, "quando se adotam dietas restritivas, temos que monitorar com exames de sangue, avaliação de sinais e sintomas, para ver se compensa o sacrifício ou a estratégia".

Kelly Key: 'Jejuar transformou a minha vida'

Assim como Martin, outros artistas brasileiros também adotaram a mesma dieta. É o caso de Deborah Secco, Juliana Paes e Jade Picon, por exemplo, que declararam publicamente ser adeptas do jejum.

Publicidade

No ano passado, a cantora Kelly Key admitiu usar a mesma técnica para "secar" a barriguinha.

"Eu já sou adepta do jejum intermitente faz três anos. No início, foi muito difícil pra mim a adaptação. Hoje, eu não vivo sem. Me sinto mal quando eu não faço. Mas o que eu posso dizer é que transformou a minha vida. Hoje, eu faço de 16 a 18 horas de jejum e utilizo o período da noite para me beneficiar nesse sentido", garantiu ela.

Segundo Daniel Bratan, médico nutrólogo e endocrinologista, o paciente que adota a técnica com o acompanhamento profissional é aquele que deve ter "uma incidência menor no diabetes tipo 2; inclusive, para pacientes portadores do diabetes tipo 2, a tática do jejum intermitente é uma tática que ajuda no controle da glicemia".

Estudo mostrou resultados animadores

Um estudo clínico com 90 pessoas que tinham obesidade, entre 25 e 75 anos, dividiu os participantes em dois grupos: os que tinham alimentação com restrição de tempo perderam 2,3 kg a mais de peso em comparação com o outro grupo, que não passou por restrição de tempo na alimentação, e obtiveram uma melhora na pressão arterial e no humor.

O estudo publicado no periódico Jama Internal Medicine durou 14 semanas e foi conduzido entre agosto de 2018 e abril de 2020.

Assim como Chris Martin, conheça artistas brasileiros que adotaram o jejum intermitente

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.