Logo R7.com
Logo do PlayPlus
R7 Viva a Vida
Publicidade

Danilo Gentili revela ter sido diagnosticado com autismo; especialistas explicam

De acordo com o apresentador, o diagnóstico ocorreu há pouco mais de um ano

Viva a Vida|Do R7

Apresentador tem 44 anos
Apresentador tem 44 anos Apresentador tem 44 anos

Danilo Gentili revelou, na noite desta quarta-feira (25), que foi diagnosticado com autismo. Segundo o apresentador, ele recebeu a notícia há pouco mais de um ano. A declaração aconteceu durante a mais recente edição de seu programa noturno, enquanto entrevistava a jornalista, humorista e podcaster Amanda Ramalho, que também está dentro do espectro autista, com um podcast sobre a vida com o diagnóstico.

Durante a conversa, a jornalista comentava seu diagnóstico tardio, que recebeu recentemente, quando Gentili contou que também havia recebido a mesma notícia. "Sabia que eu também fui [diagnosticado]? Tem um ano e pouco, e eu fiz teste e me diagnosticaram com nível de espectro autista", revelou.

O apresentador então disse que optou por não realizar mais testes para entender como o transtorno o afetava. "Me falaram que eu precisaria fazer outros exames de acompanhamento para ver qual era o nível, mas eu não quis [...] Se eu sou autista, não quero saber, já sou assim e já era", declarou.

Enquanto Amanda expunha algumas de suas características, Danilo comentou que dividia algumas delas com a jornalista. "É pesado tentar ter a vida social que precisa ter", desabafou ele sobre sua socialização. Amanda, desconfiada, o questionou: "Você está ironizando?". E o entrevistador confirmou estar falando sério sobre o assunto.

Publicidade

Clique aqui e receba as notícias do R7 no seu WhatsApp

Compartilhe esta notícia pelo WhatsApp

Publicidade

Compartilhe esta notícia pelo Telegram

Thiago Robles Juhas, neuropsicólogo na Clínica Araújo & Fazzito, explica que o transtorno do espectro autista (TEA) é um distúrbio neurológico que afeta o desenvolvimento cerebral e atinge indivíduos no nascimento ou nos primeiros anos de vida.

Publicidade

"As causas exatas do autismo ainda não são totalmente compreendidas, mas há uma grande variedade de fatores de risco inespecíficos. Os principais são: idade parental avançada, baixo peso ao nascer ou exposição fetal a ácido valproico (uso durante a gestação)", declara.

Robles conta que o transtorno afeta a interação social, a comunicação e o comportamento do paciente. "Embora os sintomas possam variar amplamente entre os indivíduos, alguns sinais comuns observados em adultos são: dificuldade na interação social, comunicação atípica, interesses restritos ou fixação, sensibilidades sensoriais, dificuldades na mudança de rotina, hipersensibilidade ou hipossensibilidade emocional e habilidades motoras diferentes", explica.

O psicólogo Alexandre Bez completa ao afirmar que o diagnóstico seguido de tratamento é essencial, podendo facilitar a vida do paciente e de familiares. "Quanto mais cedo se descobre a condição neurológica, mais cedo se começam o tratamento e o acompanhamento; com isso, o paciente pode ter uma qualidade de vida melhor em diversos aspectos", diz.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.