Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

Conheça a Costa dos Esqueletos, maior cemitério à beira-mar do mundo

Flipar|

A Costa dos Esqueletos, na Namíbia, traz histórias marcantes com um verdadeiro cemitério a céu aberto, onde são encontrados milhares de navios encalhados nas areias do deserto. As diversas carcaças de barcos e esqueletos de animais marinhos revelam histórias de exploração, naufrágios e um passado colonial alemão.
A Costa dos Esqueletos, na Namíbia, traz histórias marcantes com um verdadeiro cemitério a céu aberto, onde são encontrados milhares de navios encalhados nas areias do deserto. As diversas carcaças de barcos e esqueletos de animais marinhos revelam his... A Costa dos Esqueletos, na Namíbia, traz histórias marcantes com um verdadeiro cemitério a céu aberto, onde são encontrados milhares de navios encalhados nas areias do deserto. As diversas carcaças de barcos e esqueletos de animais marinhos revelam histórias de exploração, naufrágios e um passado colonial alemão. (Flipar)
Um dos desertos mais antigos do mundo encontra as águas geladas do Atlântico, onde cria-se um ecossistema único. Assim, as correntes frias da Benguela trazem nutrientes do fundo do mar e sustentam a rica biodiversidade, que atrai pescadores e caçadores de baleias desde o século XIX.
Um dos desertos mais antigos do mundo encontra as águas geladas do Atlântico, onde cria-se um ecossistema único. Assim, as correntes frias da Benguela trazem nutrientes do fundo do mar e sustentam a rica biodiversidade, que atrai pescadores e caçadores... Um dos desertos mais antigos do mundo encontra as águas geladas do Atlântico, onde cria-se um ecossistema único. Assim, as correntes frias da Benguela trazem nutrientes do fundo do mar e sustentam a rica biodiversidade, que atrai pescadores e caçadores de baleias desde o século XIX. (Flipar)
Entre essas embarcações que permanecem presas nas dunas do país africano, estão o Eduard Bohlen, encalhado em 1909, e o Dunedin Star, em 1942.
Entre essas embarcações que permanecem presas nas dunas do país africano, estão o Eduard Bohlen, encalhado em 1909, e o Dunedin Star, em 1942. Entre essas embarcações que permanecem presas nas dunas do país africano, estão o Eduard Bohlen, encalhado em 1909, e o Dunedin Star, em 1942. (Flipar)
As embarcações representam símbolos da luta humana contra as forças da natureza e englobam uma rica história de extração de diamantes.
As embarcações representam símbolos da luta humana contra as forças da natureza e englobam uma rica história de extração de diamantes. As embarcações representam símbolos da luta humana contra as forças da natureza e englobam uma rica história de extração de diamantes. (Flipar)
Além disso, o local testemunhou a ascensão e queda de Lüderitz, uma colônia alemã, e viu cidades inteiras serem abandonadas à medida que os recursos se esgotavam.
Além disso, o local testemunhou a ascensão e queda de Lüderitz, uma colônia alemã, e viu cidades inteiras serem abandonadas à medida que os recursos se esgotavam. Além disso, o local testemunhou a ascensão e queda de Lüderitz, uma colônia alemã, e viu cidades inteiras serem abandonadas à medida que os recursos se esgotavam. (Flipar)
O local fica dentro do Parque Nacional da Costa do Esqueleto, que se estende sobre uma área de 500km da linha costeira do rio de Ugab ao sul até o rio de Kunene ao norte.
O local fica dentro do Parque Nacional da Costa do Esqueleto, que se estende sobre uma área de 500km da linha costeira do rio de Ugab ao sul até o rio de Kunene ao norte. O local fica dentro do Parque Nacional da Costa do Esqueleto, que se estende sobre uma área de 500km da linha costeira do rio de Ugab ao sul até o rio de Kunene ao norte. (Flipar)
Adolf Lüderitz, na era do imperialismo alemão, iniciou a exploração de terras por diamantes, levando ao estabelecimento de uma colônia.
Adolf Lüderitz, na era do imperialismo alemão, iniciou a exploração de terras por diamantes, levando ao estabelecimento de uma colônia. Adolf Lüderitz, na era do imperialismo alemão, iniciou a exploração de terras por diamantes, levando ao estabelecimento de uma colônia. (Flipar)
Essa procura moldou o destino econômico da região e também impactou profundamente as comunidades locais e o ambiente. Algo que gerou cidades abandonadas e paisagens transformadas.
Essa procura moldou o destino econômico da região e também impactou profundamente as comunidades locais e o ambiente. Algo que gerou cidades abandonadas e paisagens transformadas. Essa procura moldou o destino econômico da região e também impactou profundamente as comunidades locais e o ambiente. Algo que gerou cidades abandonadas e paisagens transformadas. (Flipar)
Os modernos sistemas de navegação como o radar ARPA, reduziram os acidentes marítimos no local. Contudo, a Costa dos Esqueletos ainda reivindica seus tributos, como o navio pesqueiro japonês que encalhou em 2018 devido a erros de navegação.
Os modernos sistemas de navegação como o radar ARPA, reduziram os acidentes marítimos no local. Contudo, a Costa dos Esqueletos ainda reivindica seus tributos, como o navio pesqueiro japonês que encalhou em 2018 devido a erros de navegação. Os modernos sistemas de navegação como o radar ARPA, reduziram os acidentes marítimos no local. Contudo, a Costa dos Esqueletos ainda reivindica seus tributos, como o navio pesqueiro japonês que encalhou em 2018 devido a erros de navegação. (Flipar)
Sendo assim, desde a época das Grandes Navegações, quando os Europeus se lançavam aos oceanos na busca por novas riquezas, a Costa do Esqueleto passou a ser um terror e um local que traz muitas dificuldades aos capitães de navio.
Sendo assim, desde a época das Grandes Navegações, quando os Europeus se lançavam aos oceanos na busca por novas riquezas, a Costa do Esqueleto passou a ser um terror e um local que traz muitas dificuldades aos capitães de navio. Sendo assim, desde a época das Grandes Navegações, quando os Europeus se lançavam aos oceanos na busca por novas riquezas, a Costa do Esqueleto passou a ser um terror e um local que traz muitas dificuldades aos capitães de navio. (Flipar)
O ominoso nome “Costa do Esqueleto” tem suas origens nas rotas do velho comércio de especiarias, onde marinheiros cautelosos passaram ao longo da costa desolada da Namíbia em seu caminho para a Índia.
O ominoso nome “Costa do Esqueleto” tem suas origens nas rotas do velho comércio de especiarias, onde marinheiros cautelosos passaram ao longo da costa desolada da Namíbia em seu caminho para a Índia. O ominoso nome “Costa do Esqueleto” tem suas origens nas rotas do velho comércio de especiarias, onde marinheiros cautelosos passaram ao longo da costa desolada da Namíbia em seu caminho para a Índia. (Flipar)
Impelidos pelo nevoeiro cegante do mar, que prevalecia ao longo da costa, muitos navios naufragaram, dando origem ao maior cemitério à beira-mar do mundo.
Impelidos pelo nevoeiro cegante do mar, que prevalecia ao longo da costa, muitos navios naufragaram, dando origem ao maior cemitério à beira-mar do mundo. Impelidos pelo nevoeiro cegante do mar, que prevalecia ao longo da costa, muitos navios naufragaram, dando origem ao maior cemitério à beira-mar do mundo. (Flipar)
A Costa dos Esqueletos é um dos lugares mais secos do planeta, com uma precipitação anual média de apenas 5 a 15 milímetros. É também uma das regiões mais ventosas da África, com ventos fortes soprando constantemente ao longo da costa.
A Costa dos Esqueletos é um dos lugares mais secos do planeta, com uma precipitação anual média de apenas 5 a 15 milímetros. É também uma das regiões mais ventosas da África, com ventos fortes soprando constantemente ao longo da costa. A Costa dos Esqueletos é um dos lugares mais secos do planeta, com uma precipitação anual média de apenas 5 a 15 milímetros. É também uma das regiões mais ventosas da África, com ventos fortes soprando constantemente ao longo da costa. (Flipar)
A costa também é lar de uma grande população de focas do cabo, que se reúnem em grandes colônias nas praias de areia. Essas colônias são uma visão impressionante e também atraem predadores como leões-marinhos e tubarões brancos.
A costa também é lar de uma grande população de focas do cabo, que se reúnem em grandes colônias nas praias de areia. Essas colônias são uma visão impressionante e também atraem predadores como leões-marinhos e tubarões brancos. A costa também é lar de uma grande população de focas do cabo, que se reúnem em grandes colônias nas praias de areia. Essas colônias são uma visão impressionante e também atraem predadores como leões-marinhos e tubarões brancos. (Flipar)
Os indivíduos podem realmente encontrar esqueletos de todas as descrições: navios, elefantes, baleias e pequenos lagartos, assim como existem restos mortais de tripulantes.
Os indivíduos podem realmente encontrar esqueletos de todas as descrições: navios, elefantes, baleias e pequenos lagartos, assim como existem restos mortais de tripulantes. Os indivíduos podem realmente encontrar esqueletos de todas as descrições: navios, elefantes, baleias e pequenos lagartos, assim como existem restos mortais de tripulantes. (Flipar)
Por outro lado, esse vasto território é o lar de muitas criaturas e plantas fascinantes. Além de paisagens ainda mais fascinantes nas justaposições entre areia e mar, vida e morte.
Por outro lado, esse vasto território é o lar de muitas criaturas e plantas fascinantes. Além de paisagens ainda mais fascinantes nas justaposições entre areia e mar, vida e morte. Por outro lado, esse vasto território é o lar de muitas criaturas e plantas fascinantes. Além de paisagens ainda mais fascinantes nas justaposições entre areia e mar, vida e morte. (Flipar)
A vegetação do local é quase inexistente devido à baixa umidade. Além de composta por diversas espécies de arbustos halófitos e herbáceas.
A vegetação do local é quase inexistente devido à baixa umidade. Além de composta por diversas espécies de arbustos halófitos e herbáceas. A vegetação do local é quase inexistente devido à baixa umidade. Além de composta por diversas espécies de arbustos halófitos e herbáceas. (Flipar)
No local, não existe uma única árvore ao longo dos mais de mil quilômetros de costa. Dessa forma, além dos arbustos, outra atração biológica da costa dos esqueletos são os líquens, que ocorrem com grande abundância e diversidade.
No local, não existe uma única árvore ao longo dos mais de mil quilômetros de costa. Dessa forma, além dos arbustos, outra atração biológica da costa dos esqueletos são os líquens, que ocorrem com grande abundância e diversidade. No local, não existe uma única árvore ao longo dos mais de mil quilômetros de costa. Dessa forma, além dos arbustos, outra atração biológica da costa dos esqueletos são os líquens, que ocorrem com grande abundância e diversidade. (Flipar)
Eduard Bohlen foi um navio que naufragou em 5 de setembro de 1909 em uma espessa neblina na Costa do Esqueleto do Sudoeste Africano Alemão (atual Namíbia). Os destroços estão atualmente na areia, a 400 m (1.300 pés) da costa.
Eduard Bohlen foi um navio que naufragou em 5 de setembro de 1909 em uma espessa neblina na Costa do Esqueleto do Sudoeste Africano Alemão (atual Namíbia). Os destroços estão atualmente na areia, a 400 m (1.300 pés) da costa. Eduard Bohlen foi um navio que naufragou em 5 de setembro de 1909 em uma espessa neblina na Costa do Esqueleto do Sudoeste Africano Alemão (atual Namíbia). Os destroços estão atualmente na areia, a 400 m (1.300 pés) da costa. (Flipar)
O Eduard Bohlen era um navio de carga de 2.272 toneladas brutas e comprimento de 94 m (310 pés).
O Eduard Bohlen era um navio de carga de 2.272 toneladas brutas e comprimento de 94 m (310 pés). O Eduard Bohlen era um navio de carga de 2.272 toneladas brutas e comprimento de 94 m (310 pés). (Flipar)
Em setembro de 1909, ele encalhou em meio à uma névoa espessa e naufragou em Conception Bay durante uma viagem de Swakopmund para Table Bay.
Em setembro de 1909, ele encalhou em meio à uma névoa espessa e naufragou em Conception Bay durante uma viagem de Swakopmund para Table Bay. Em setembro de 1909, ele encalhou em meio à uma névoa espessa e naufragou em Conception Bay durante uma viagem de Swakopmund para Table Bay. (Flipar)
O Bohlen fica perto de dois outros naufrágios. O Otavi, que afundou em 1945, e o MV Dunedin Star, que serviu na Segunda Guerra Mundial e continuou seu serviço de transporte de carga entre a Grã-Bretanha e a Austrália.
O Bohlen fica perto de dois outros naufrágios. O Otavi, que afundou em 1945, e o MV Dunedin Star, que serviu na Segunda Guerra Mundial e continuou seu serviço de transporte de carga entre a Grã-Bretanha e a Austrália. O Bohlen fica perto de dois outros naufrágios. O Otavi, que afundou em 1945, e o MV Dunedin Star, que serviu na Segunda Guerra Mundial e continuou seu serviço de transporte de carga entre a Grã-Bretanha e a Austrália. (Flipar)
Um documentário da década de 1990 sobre o MV Dunedin Star, perdido na mesma praia a quilômetros de distância, também apresentou o Bohlen.
Um documentário da década de 1990 sobre o MV Dunedin Star, perdido na mesma praia a quilômetros de distância, também apresentou o Bohlen. Um documentário da década de 1990 sobre o MV Dunedin Star, perdido na mesma praia a quilômetros de distância, também apresentou o Bohlen. (Flipar)
O naufrágio foi apresentado na série de televisão Wonders of the Universe de 2011. Em seguida, foi apresentado na série Amazon Video de 2016, The Grand Tour. É o ponto final do alívio esportivo de 2020, The Heat Is On.
O naufrágio foi apresentado na série de televisão Wonders of the Universe de 2011. Em seguida, foi apresentado na série Amazon Video de 2016, The Grand Tour. É o ponto final do alívio esportivo de 2020, The Heat Is On. O naufrágio foi apresentado na série de televisão Wonders of the Universe de 2011. Em seguida, foi apresentado na série Amazon Video de 2016, The Grand Tour. É o ponto final do alívio esportivo de 2020, The Heat Is On. (Flipar)
MV Dunedin Star foi um navio de carga refrigerado britânico. Ele foi construído por Cammell Laird and Co em 1935–36 como um dos navios da classe Imperial Star da Blue Star Line. Foi projetado para enviar carne congelada da Austrália e Nova Zelândia para o Reino Unido.
MV Dunedin Star foi um navio de carga refrigerado britânico. Ele foi construído por Cammell Laird and Co em 1935–36 como um dos navios da classe Imperial Star da Blue Star Line. Foi projetado para enviar carne congelada da Austrália e Nova Zelândia par... MV Dunedin Star foi um navio de carga refrigerado britânico. Ele foi construído por Cammell Laird and Co em 1935–36 como um dos navios da classe Imperial Star da Blue Star Line. Foi projetado para enviar carne congelada da Austrália e Nova Zelândia para o Reino Unido. (Flipar)
O navio serviu na Segunda Guerra Mundial e se destaca por seu papel na Operação Halberd para aliviar o cerco de Malta em setembro de 1941.
O navio serviu na Segunda Guerra Mundial e se destaca por seu papel na Operação Halberd para aliviar o cerco de Malta em setembro de 1941. O navio serviu na Segunda Guerra Mundial e se destaca por seu papel na Operação Halberd para aliviar o cerco de Malta em setembro de 1941. (Flipar)
Em 9 de novembro de 1942, o Dunedin Star deixou Liverpool com destino ao Egito via Baía de Saldanha, Cidade do Cabo e Áden. Sua carga eram munições e suprimentos para o Oitavo Exército Britânico no Oriente Médio. Ele transportava 85 tripulantes e 21 passageiros pagantes.
Em 9 de novembro de 1942, o Dunedin Star deixou Liverpool com destino ao Egito via Baía de Saldanha, Cidade do Cabo e Áden. Sua carga eram munições e suprimentos para o Oitavo Exército Britânico no Oriente Médio. Ele transportava 85 tripulantes e 21 pa... Em 9 de novembro de 1942, o Dunedin Star deixou Liverpool com destino ao Egito via Baía de Saldanha, Cidade do Cabo e Áden. Sua carga eram munições e suprimentos para o Oitavo Exército Britânico no Oriente Médio. Ele transportava 85 tripulantes e 21 passageiros pagantes. (Flipar)
O nome Costa do Esqueleto foi criado pelo autor britânico John Henry Marsh, que escreveu um livro de mesmo nome
O nome Costa do Esqueleto foi criado pelo autor britânico John Henry Marsh, que escreveu um livro de mesmo nome O nome Costa do Esqueleto foi criado pelo autor britânico John Henry Marsh, que escreveu um livro de mesmo nome (Flipar)
No final da década de 90, o governo da Namíbia transformou a região em um parque que ganhou justamente o nome de Parque da Costa do Esqueleto.
No final da década de 90, o governo da Namíbia transformou a região em um parque que ganhou justamente o nome de Parque da Costa do Esqueleto. No final da década de 90, o governo da Namíbia transformou a região em um parque que ganhou justamente o nome de Parque da Costa do Esqueleto. (Flipar)
Sua costa hoje é um parque de recreação sazonais para baleias, focas e leões marinhos, enquanto mais para o interior dos leitos são povoadas por leão, girafa, rinoceronte e babuíno.
Sua costa hoje é um parque de recreação sazonais para baleias, focas e leões marinhos, enquanto mais para o interior dos leitos são povoadas por leão, girafa, rinoceronte e babuíno. Sua costa hoje é um parque de recreação sazonais para baleias, focas e leões marinhos, enquanto mais para o interior dos leitos são povoadas por leão, girafa, rinoceronte e babuíno. (Flipar)

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.