Logo R7.com
Logo do PlayPlus
R7 Viva a Vida
Publicidade

Mar da Flórida atinge temperatura de ‘banheiras de hidromassagem”

Causada pelo 'El Niño', onda de forte calor nos Estados Unidos gera alerta em monitores climáticos sobre o impacto perigoso do aquecimento...

Flipar

Flipar|Do R7

O forte calor que atinge os EUA vem quebrando recordes dia após dia. Na segunda-feira, 24/07, uma boia no mar da Flórida registrou 38,44°C no fim da tarde, conforme mostraram dados do governo norte-americano.
O forte calor que atinge os EUA vem quebrando recordes dia após dia. Na segunda-feira, 24/07, uma boia no mar da Flórida registrou 38,44°C no fim da tarde, conforme mostraram dados do governo norte-americano. O forte calor que atinge os EUA vem quebrando recordes dia após dia. Na segunda-feira, 24/07, uma boia no mar da Flórida registrou 38,44°C no fim da tarde, conforme mostraram dados do governo norte-americano.
De acordo com a Agência Nacional Oceânica e Atmosférica dos EUA, as temperaturas normais da água para a área nesta época do ano deveriam estar entre 23°C e 31°C.
De acordo com a Agência Nacional Oceânica e Atmosférica dos EUA, as temperaturas normais da água para a área nesta época do ano deveriam estar entre 23°C e 31°C. De acordo com a Agência Nacional Oceânica e Atmosférica dos EUA, as temperaturas normais da água para a área nesta época do ano deveriam estar entre 23°C e 31°C.
O caso elevou o alerta de autoridades locais e preocupa o setor de alimentos. De acordo com a CNN Brasil, pescadores da região dizem que o peixe está mais escasso por causa da água muito quente.
O caso elevou o alerta de autoridades locais e preocupa o setor de alimentos. De acordo com a CNN Brasil, pescadores da região dizem que o peixe está mais escasso por causa da água muito quente. O caso elevou o alerta de autoridades locais e preocupa o setor de alimentos. De acordo com a CNN Brasil, pescadores da região dizem que o peixe está mais escasso por causa da água muito quente.
A ONU alerta que as temperaturas globais do mar atingiram recordes mensais desde maio de 2023. E esse aquecimento pode desencadear tempestades mais fortes na região.
A ONU alerta que as temperaturas globais do mar atingiram recordes mensais desde maio de 2023. E esse aquecimento pode desencadear tempestades mais fortes na região. A ONU alerta que as temperaturas globais do mar atingiram recordes mensais desde maio de 2023. E esse aquecimento pode desencadear tempestades mais fortes na região.
Todo o Hemisfério Norte do planeta vem sofrendo com o calor neste verão de 2023, tanto em terra quanto nos oceanos.
Todo o Hemisfério Norte do planeta vem sofrendo com o calor neste verão de 2023, tanto em terra quanto nos oceanos. Todo o Hemisfério Norte do planeta vem sofrendo com o calor neste verão de 2023, tanto em terra quanto nos oceanos.
Nos EUA, o sul e sudoeste do país registraram temperaturas acima dos 43°C por duas semanas seguidas em julho, segundo o Serviço Meteorológico Nacional do país.
Nos EUA, o sul e sudoeste do país registraram temperaturas acima dos 43°C por duas semanas seguidas em julho, segundo o Serviço Meteorológico Nacional do país. Nos EUA, o sul e sudoeste do país registraram temperaturas acima dos 43°C por duas semanas seguidas em julho, segundo o Serviço Meteorológico Nacional do país.
No dia 16/07, os termômetros no Vale da Morte, na Califórnia, um dos lugares mais quentes do planeta, passaram dos 50°C
No dia 16/07, os termômetros no Vale da Morte, na Califórnia, um dos lugares mais quentes do planeta, passaram dos 50°C No dia 16/07, os termômetros no Vale da Morte, na Califórnia, um dos lugares mais quentes do planeta, passaram dos 50°C
Em relatório publicado na quinta-feira, 27/07, a Organização Meteorológica Mundial (OMM) afirmou que, antes mesmo do fim de julho, já é possível afirmar que este será o mês mais quente registrado no planeta.
Em relatório publicado na quinta-feira, 27/07, a Organização Meteorológica Mundial (OMM) afirmou que, antes mesmo do fim de julho, já é possível afirmar que este será o mês mais quente registrado no planeta. Em relatório publicado na quinta-feira, 27/07, a Organização Meteorológica Mundial (OMM) afirmou que, antes mesmo do fim de julho, já é possível afirmar que este será o mês mais quente registrado no planeta.
Cientistas da OMM e do Serviço de Mudanças Climáticas Copernicus da União Europeia garantem que julho baterá o recorde de mais quente da história com uma
Cientistas da OMM e do Serviço de Mudanças Climáticas Copernicus da União Europeia garantem que julho baterá o recorde de mais quente da história com uma Cientistas da OMM e do Serviço de Mudanças Climáticas Copernicus da União Europeia garantem que julho baterá o recorde de mais quente da história com uma
Normalmente, esses recordes, que rastreiam a temperatura média do ar em todo o mundo, são quebrados por centésimos de grau.
Normalmente, esses recordes, que rastreiam a temperatura média do ar em todo o mundo, são quebrados por centésimos de grau. Normalmente, esses recordes, que rastreiam a temperatura média do ar em todo o mundo, são quebrados por centésimos de grau.
Mas a temperatura média nos primeiros 23 dias de julho foi de 16,95 °C, bem acima do recorde anterior de 16,63 °C estabelecido em julho de 2019, segundo o relatório.
Mas a temperatura média nos primeiros 23 dias de julho foi de 16,95 °C, bem acima do recorde anterior de 16,63 °C estabelecido em julho de 2019, segundo o relatório. Mas a temperatura média nos primeiros 23 dias de julho foi de 16,95 °C, bem acima do recorde anterior de 16,63 °C estabelecido em julho de 2019, segundo o relatório.
Os dados usados para rastrear esses registros remontam a 1940, mas cientistas das duas organizações afirmam que é quase certo que essas temperaturas são as mais quentes que o planeta já viu em 120 mil anos.
Os dados usados para rastrear esses registros remontam a 1940, mas cientistas das duas organizações afirmam que é quase certo que essas temperaturas são as mais quentes que o planeta já viu em 120 mil anos. Os dados usados para rastrear esses registros remontam a 1940, mas cientistas das duas organizações afirmam que é quase certo que essas temperaturas são as mais quentes que o planeta já viu em 120 mil anos.
Flipar
Flipar Flipar
Um estudo recente descobriu que a mudança climática desempenhou um papel “absolutamente esmagador” nas ondas de calor nos EUA, China e sul da Europa neste verão.
Um estudo recente descobriu que a mudança climática desempenhou um papel “absolutamente esmagador” nas ondas de calor nos EUA, China e sul da Europa neste verão. Um estudo recente descobriu que a mudança climática desempenhou um papel “absolutamente esmagador” nas ondas de calor nos EUA, China e sul da Europa neste verão.
Em 6 de julho, a temperatura média global subiu para 17,08 °C, de acordo com dados do Copernicus, superando o recorde anterior de temperatura de 16,8 °C, estabelecido em agosto de 2016.
Em 6 de julho, a temperatura média global subiu para 17,08 °C, de acordo com dados do Copernicus, superando o recorde anterior de temperatura de 16,8 °C, estabelecido em agosto de 2016. Em 6 de julho, a temperatura média global subiu para 17,08 °C, de acordo com dados do Copernicus, superando o recorde anterior de temperatura de 16,8 °C, estabelecido em agosto de 2016.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.