Logo R7.com
Logo do PlayPlus
R7 Viva a Vida
Publicidade

No escuro e congelados: dono de imóvel deixa hóspedes sem energia após atraso no pagamento

Casal enfrentava problemas financeiros e teve a eletricidade do apartamento cortada por 19 dias; caso foi parar na Justiça

Viva a Vida|Maria Cunha*, do R7

Casal atrasou pagamento de imóvel e teve a energia cortada pelo proprietário
Casal atrasou pagamento de imóvel e teve a energia cortada pelo proprietário Casal atrasou pagamento de imóvel e teve a energia cortada pelo proprietário

O dono de um apartamento, o qual era alugado pelo aplicativo Airbnb, teve que pagar 100 mil libras esterlinas (R$ 637,4 mil) após deixar dois hóspedes na "escuridão total" depois de cortar a eletricidade.

A condessa Christine Bolza, de 48 anos, disse a um juiz que ela e seu marido, o conde Niki Bolza, 51, ficaram "totalmente congelados" e "sem iluminação, aquecimento ou geladeira" depois de se desentenderem com o proprietário do Airbnb, Talha Abbasi.

O casal alugou a propriedade em Portobello Road, na cidade de Londres, em novembro de 2021, depois que a condessa reclamou que sua residência anterior em Mayfair tinha muitos lances de escada.

Na nova casa, Christine e Niki acabaram entrando em conflito com Abbasi quando começaram a atrasar o aluguel. Eles estavam enfrentando problemas financeiros em meio ao colapso da empresa deles de desenvolvimento imobiliário, a Niboco Ltd, que foi encerrada em julho de 2022.

Publicidade

O atraso no aluguel, então, levou Abbasi a cortar o fornecimento de energia por 19 dias em março do ano passado. A decisão os deixou impossibilitados de usar a TV, computadores, telefones, aquecimento e até cozinha.

Christine também disse que não conseguia ler uma história de ninar para o filho por causa da escuridão.

Publicidade

Leia também

O juiz Stephen Hellman, responsável pelo caso, apoiou a alegação da condessa de que a decisão de cortar a energia foi ilegítima depois que ela entrou com uma ação por assédio e quebra de contrato.

Ela processou Abbasi em 25 mil libras esterlinas (cerca de R$ 159,3 mil) e pediu indenização por "ansiedade, inconveniência e estresse mental". A decisão do dono do Airbnb de cortar o fornecimento de energia deixou a comida apodrecendo no freezer e o casal passou o tempo em cafés, gastando dinheiro extra.

Publicidade

Depois de um julgamento no Tribunal do Condado do prefeito e da cidade, o juiz ordenou que o proprietário pagasse 12,9 mil libras (cerca de R$ 82,4 mil) de indenização por assédio e por violação do direito do conde e da condessa de "desfrutar tranquilamente" do apartamento.

Abbasi também deve pagar 90 mil libras (R$ 573,7 mil) para cobrir os custos legais do casal com 70 mil libras (R$ 446,2 mil) pagas antecipadamente.

A condessa ainda disse ao tribunal que o Sr. Bassi não se comoveu com as alegações de que eles estavam tendo problemas financeiros e era "repetidamente perseguida pelo pagamento das quantias pendentes".

Ele acrescentou que Abbasi também cometeu um “ato de assédio” quando exigiu acesso ao apartamento deles em 19 de março para inspecionar o fornecimento de eletricidade.

O juiz também aceitou que providenciar para que o fornecimento de internet da família fosse cortado fazia parte de um plano do dono do imóvel para se livrar deles.

*Estagiária do R7, sob supervisão de Felipe Gladiador

Viúva de Pelé herda mansão de quatro andares e varanda sobre o mar no Guarujá; veja fotos

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.