Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

"O Admirável Sertão de Zé Ramalho" homenageia a obra do artista paraibano no Teatro Prudential

Adriana Lessa encabeça o elenco da montagem com dramaturgia de Pedro Kosovski e direção de Marco André Nunes, produzida por Eduardo...

Cartão de Visita|

Adriana Lessa encabeça o elenco da montagem com dramaturgia de Pedro Kosovski e direção de Marco André Nunes, produzida por Eduardo Barata

Cartão de Visita - Entretenimento
Cartão de Visita - Entretenimento Cartão de Visita - Entretenimento

Com mais de 40 anos dedicados à composição, poesia e música, o artista paraibano Zé Ramalho terá sua extensa obra celebrada na mais nova produção idealizada por Eduardo Barata, "O Admirável Sertão de Zé Ramalho", que estreia em setembro, em curtíssima temporada no Teatro Municipal de Niterói, e depois segue para o Teatro Prudential, no Rio.

A montagem do musical, que tem patrocínio da Eletrobras e do Itaú, através da Lei de Incentivo à Cultura, promove o reencontro da dupla responsável por uma das peças mais premiadas do teatro brasileiro: "Caranguejo Overdrive". O cancioneiro do cantor e compositor, a literatura e os lugares retratados em sua trajetória ganham vida no palco através da dramaturgia de Pedro Kosovski e a direção de Marco André Nunes, mas não de forma tradicional e biográfica.

Zé, o personagem, existirá somente nos números musicais, criando algo totalmente inédito. O elenco é diverso, possibilitando, desta forma, a abordagem de vários pontos de vista, contando diversas histórias dentro de uma só. "O espetáculo é uma homenagem a um grande brasileiro que levou para o mundo a força artística do Nordeste, com qualidade em sua realização e enorme potência criativa. Com argumento simples, mas poético e reflexivo, assim como a música de Zé Ramalho, o texto apresentará personagens de referência na obra do homenageado – os retirantes, a seca, o vilão, os palhaços, etc.", conta o produtor e idealizador do projeto, Eduardo Barata.

O elenco do espetáculo é encabeçado por Adriana Lessa - que entrou na produção às pressas para substituir a atriz Léa Garcia, que nos deixou recentemente -, Ceiça Moreno, Duda Barata, Marcelo Melo, Tiago Herz, Nizaj, André Muato, César Werneck, João Marcos da Conceição. O musical, com patrocínio da Eletrobrás e do Itaú Unibanco, através da Lei de Incentivo à Cultura / Ministério da Cultura / Governo Federal, se divide em 5 módulos: "Brejo da Cruz", que apresenta as origens do artista; "Campina Grande", sobre a cidade onde começou o interesse de Zé pela música; "João Pessoa" retrata momento lisérgico da vida do músico, quando ele começou realmente a compor; "Rio de Janeiro" apresenta a batalha por um lugar ao sol, passando pela fome a até a prostituição, e "Popstar" representa o sucesso e a consagração do autor de clássicos como "Admirável Gado Novo", "Garoto de Aluguel", "Pedra do Ingá" e "Chão de Giz", entre outros.

Paraibano de Brejo do Cruz, Zé Ramalho se embrenhou na fonte da literatura de Cordel, do blues, do rock e do melhor do violão nordestino. Também é conhecido por sua contemporaneidade, produzindo poesia dentro da tradição musical nordestina, além de emoções e sentimentos universais na sua obra. Suas composições são tão abrangentes quanto o seu legado de influência sobre músicos e poetas.

Apelidado de Bob Dylan do sertão, o poeta, cantor, instrumentista e compositor Zé Ramalho foi influenciado pela Jovem Guarda. Misturou o estilo de Roberto e Erasmo Carlos, com a musicalidade do sertão, tendo como referência Pink Floyd, Beatles, Jackson do Pandeiro, Luiz Gonzaga, entre outros. Uma miscelânea de ritmos, sons, palavras e sensações, sem nenhum tipo de ranço vanguardista e ao mesmo tempo utilizando a tradição nordestina para construir e adaptar suas canções. Do amor ao esotérico, com toque de crítica. Do xote ao rock, sem ter medo da mais romântica balada. Este é Zé Ramalho. Da Paraíba, do mundo, da música. Sua obra se renova sem eliminar nada do que foi usado antes.

Ficha técnica

Idealização: Eduardo Barata

Texto: Pedro Kosovski 

Direção: Marco André Nunes

Direção musical: Plínio Profeta e André Muato

Direção de movimento: Caroline Monlleo 

Cenário: Marco André Nunes

Figurino: Wanderley Gomes.

Direção de Produção: Elaine Moreira 

Produção Executiva: Tom Pires 

Realização: Barata Produções 

Patrocínio: Eletrobrás e Itaú

Assessoria de imprensa: Barata Comunicação e Dobbs Scarpa

Teatro Prudential:

Edifício Manchete

Rua do Russel, 804 - Glória

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.