Logo R7.com
Logo do PlayPlus
R7 Entretenimento – Música, famosos, TV, cinema, séries e mais
Publicidade

Passeios de bike se consolidam em Monte Verde (MG) e ajudam a alavancar turismo ecológico no destino

Após crescer durante o período da pandemia, cicloturismo se fortalece entre as boas opções de programas realizados na natureza exuberante...

Cartão de Visita|Do R7

Após crescer durante o período da pandemia, cicloturismo se fortalece entre as boas opções de programas realizados na natureza exuberante do distrito de Camanducaia

Cartão de Visita - Entretenimento
Cartão de Visita - Entretenimento Cartão de Visita - Entretenimento

O Dia Mundial do Turismo Ecológico é comemorado nesta quarta-feira (1º de março). E Monte Verde (MG), com a sua natureza exuberante dentro da Serra da Mantiqueira, é um dos destinos mais privilegiados do Brasil para os passeios ao ar livre. Dentre os principais atrativos para este tipo de programa no distrito de Camanducaia está o cicloturismo, que se consolidou como boa alternativa nos últimos anos e vem ajudando a alavancar as atividades esportivas sobre rodas em suas paisagens naturais, onde também ocorrem os tradicionais passeios com veículos de tração 4x4, motos, UTV e quadriciclos.

Durante a pandemia do novo coronavírus, a procura por programas ao ar livre, oferecidos por agências no tradicional destino turístico mineiro, chegou a registrar um aumento que variou entre 20% a 30%, destaca Ronaldo Paes, coordenador e responsável pelo setor de Atrativos na MOVE (Agência de Desenvolvimento de Monte Verde e Região) e proprietário da Quadriventure Passeios. Parte desse incremento se deveu à febre que virou a prática do ciclismo em solo nacional, que registrou um aumento de 118% nas vendas de bicicletas em 2020, na comparação com 2019, segundo a Aliança Bike (Associação Brasileira do Setor de Bicicleta).

A MOVE conta com 53 agências de passeios associadas atualmente. Entre elas está a Nossa Viagem Turismo, que oferece voltas de bicicletas guiadas de diferentes distâncias entre as suas opções de turismo ecológico. “Temos o roteiro para iniciantes, que é com um percurso de apenas 10km, e o intermediário, de 25km. Esse último muitas vezes não é a primeira opção do cliente, que não quer se cansar ao curtir a natureza, mas ele acaba se convencendo de que terá uma experiência inesquecível ao ficar mais perto de lindas paisagens, beirando margens de rios e passando por dentro de florestas de araucárias centenárias”, afirma Marcos Alain, proprietário da Nossa Viagem.

Publicidade

Para esse tipo de passeio, a empresa disponibiliza, além da própria bicicleta, capacete e luvas como equipamentos de segurança, assim como água mineral e isotônico para hidratação. E um guia de bike acompanha o grupo que contratou o passeio dando explicações sobre os atrativos ambientais, sociais e históricos de Monte Verde, enquanto um segundo condutor da agência dirige um veículo com tração 4x4, a uma distância média de 500 metros, escoltando os participantes e se comunicando via rádio com o líder do programa. “Após fechar o passeio, todo mundo volta com esse veículo, com as bicicletas dentro dele, até a base onde o percurso foi iniciado. E, se alguém não conseguir completá-lo, tem a opção de terminar de percorrê-lo dentro do carro na ida”, reforça Alain.

O ciclista Siliano de Souza, atleta de Monte Verde que é patrocinado pela MOVE desde 2021 e vem se destacando no cenário do mountain bike downhill nos últimos anos, também já trabalhou como guia em passeios de bicicleta no distrito mineiro e exalta uma vantagem proporcionada aos visitantes que escolhem a bicicleta para desfrutar do turismo ecológico. “Aqui dá para fazer rotas bem legais, sendo que praticamente todos os roteiros que o pessoal percorre de jipe 4x4 ou de moto também podem ser feitos de bike. E aproveitando mais a paisagem, pois na bicicleta é possível parar mais e tirar mais fotos”, destaca.

Publicidade

Segurança e dosar ritmo são fundamentais

Com diversas opções de trilhas e de passeios guiados, Monte Verde integra o Circuito Serras Verdes de Cicloturismo, criado para conectar, por meio do pedal, 20 municípios da Serra da Mantiqueira em percursos com belíssimas serras, campos, vales e matas. E Siliano de Souza enaltece a popularização deste tipo de atividade, que alia a prática esportiva ao prazer de curtir a natureza. “O turismo ecológico aqui em Monte Verde tem crescido bastante, principalmente nessa parte dos passeios de bike, que aumentaram com a pandemia. Isso foi um incentivo, pois quem antes não pedalava começou a pedalar”, opina.

Publicidade

Entretanto, o atleta recomenda aos ciclistas amadores que, antes de se aventurarem em distâncias mais longas e rotas desafiadoras em superfícies acidentadas no turismo ecológico, priorizem a segurança e saibam dosar a intensidade da pedalada.

“O pessoal precisa usar sempre o capacete. Alguns não têm o costume de utilizar, mas a luva também é uma proteção importante. É fundamental fazer o rolê com esses equipamentos, sendo que a gente sempre aconselha a quem vem pedalar aqui que não aperte muito o ritmo por causa da grande altimetria em Monte Verde. É bom se resguardar mais no começo para conseguir chegar no final e aproveitar tudo o que o percurso oferece”, enfatiza o ciclista.

Outros conselhos básicos, mas importantes de serem lembrados às pessoas interessadas em fazer turismo ecológico de bicicleta em Monte Verde, foram dados por Alain. “Solicitamos que o pessoal venha com roupas e tênis confortáveis, além de camiseta de preferência de manga longa (por causa do longo período de exposição ao sol) e também passe o protetor solar”, reforça.

Sobre a MOVE

Entidade associativa, apartidária e sem fins lucrativos, a MOVE (Agência de Desenvolvimento de Monte Verde e Região) foi criada no início de 2020 para promover o desenvolvimento econômico sustentável e ético do distrito de Monte Verde, polo turístico que pertence ao município de Camanducaia (MG), tornando-se referência no país. A agência atua com o objetivo de fortalecer e dar voz ao empresariado, a fim de potencializar a vocação turística local sob os seguintes escopos: hotelaria, comércio, receptivos, alimentação, ambiental, social, industrial, esportivo, artístico e cultural. Tem, ainda, como valores, a participação da sociedade na tomada das decisões e o cuidado e a valorização da paisagem e da cultura local. Atualmente, com mais de 160 associados, a MOVE apoia e oferece auxílio estratégico a empresas, ao poder público e à comunidade para o enfrentamento de desafios comuns; identifica, fomenta e divulga oportunidades de investimentos; promove novos negócios e parcerias; apoia, produz e viabiliza eventos turísticos na região; e promove turismo diversificado e economia de alternativas para negócios sustentáveis.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.