Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

Após cinco meses, greve de roteiristas de Hollywood chega ao fim nesta quarta (27)

O conselho aprovou, por unanimidade, o acordo fechado com representantes dos estúdios no último domingo

Cinema|Do R7*

Atores e roteiristas de Hollywood estão em greve
Atores e roteiristas de Hollywood estão em greve Atores e roteiristas de Hollywood estão em greve

Após quase cinco meses, a greve dos roteiristas de Hollywood vai se encerrar às 12h01 (horário local) desta quarta-feira (27), segundo comunicado divulgado pela WGA (Associação de Roteiristas da América), que representa cerca de 11.500 profissionais de cinema e TV. O conselho aprovou, por unanimidade, o acordo fechado com representantes dos estúdios no último domingo. A paralisação dos atores, no entanto, continua.

"Hoje, nosso comitê de negociação votou por unanimidade para recomendar o acordo. A greve termina às 12h01", anunciou o sindicato, em seu perfil no X/Twitter.

No último domingo (24), o sindicato chegou a um acordo preliminar de três anos com os principais estúdios do país.

Milhares de roteiristas de cinema e televisão interromperam os trabalhos em maio, para reivindicar melhores salários, bônus maiores pela criação de programas de sucesso e proteção contra o uso de IA (inteligência artificial).

Publicidade

Protestos foram organizados nos últimos meses diante de estúdios, como Netflix e Disney. Em julho, o SAG-AFTRA (o sindicato dos atores) também anunciou uma greve, o que deixou praticamente vazios os geralmente lotados sets de filmagens de Hollywood.

O SAG-AFTRA felicitou o WGA pelo acordo fechado e elogiou a "incrível força, resistência e solidariedade dos protestos".

Publicidade

Negociação dura

As negociações entre os estúdios e os roteiristas estavam paralisadas havia semanas, mas nos últimos dias um novo senso de urgência parece ter sido injetado no processo, com a participação de executivos de alto escalão de Netflix, Disney, Universal e Warner Bros. Discovery.

Publicidade

Entre as reivindicações, os roteiristas afirmam que seus salários não acompanharam a inflação e que a ascensão do streaming diminuiu os pagamentos "residuais", que eles recebem quando uma série em que trabalharam vira um grande sucesso.

• Compartilhe esta notícia no WhatsApp

• Compartilhe esta notícia no Telegram

A categoria também exigiu restrições ao uso de IA, devido ao temor de que a ferramenta poderia ser utilizada para substituí-los parcialmente na elaboração de roteiros de filmes e séries, o que reduziria ainda mais seus salários.

O jornal Financial Times divulgou um relatório do instituto Milken que, no início de setembro, calculava o custo da greve para Hollywood em US$ 5 bilhões (R$ 24,5 bilhões, na cotação atual).

Com 146 dias, a greve da WGA supera com folga a paralisação de cem dias dos roteiristas entre o fim de 2007 e início de 2008, que custou US$ 2,1 bilhões à economia da Califórnia.

Greve de atores continua

E, mesmo que a greve dos roteiristas termine, o mesmo não acontecerá necessariamente com a paralisação dos atores.

Não há relatos de negociações entre os estúdios e o SAG-AFTRA, que tem 160 mil filiados.

"Nós continuamos em greve em nosso contrato de TV/cinema e continuamos a pedir aos CEOs dos estúdios e dos streamings e à AMPTP que retornem à mesa para alcançar o acordo justo que nossos membros merecem e exigem", afirmou o SAG-AFTRA.

*Com informações das agências Reuters e AFP

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.