Logo R7.com
Logo do PlayPlus
R7 Entretenimento – Música, famosos, TV, cinema, séries e mais
Publicidade

Piper Laurie, atriz indicada ao Oscar por 'Carrie, a Estranha', morre aos 91 anos

Ela também apareceu em vários papéis aclamados na televisão e no palco, inclusive em 'Twin Peaks', de David Lynch

Cinema|Do R7

Piper Laurie interpretou a mãe da personagem principal de 'Carrie, a Estranha'
Piper Laurie interpretou a mãe da personagem principal de 'Carrie, a Estranha' Piper Laurie interpretou a mãe da personagem principal de 'Carrie, a Estranha'

Piper Laurie, a obstinada atriz indicada ao Oscar que atuou em papéis aclamados, apesar de a certa altura ter abandonado totalmente a atuação em busca de uma vida "mais significativa", morreu na manhã deste sábado (14), em sua casa em Los Angeles, nos Estados Unidos. Ela tinha 91 anos.

Laurie morreu de velhice, disse sua empresária, Marion Rosenberg, à Associated Press por e-mail, acrescentando que ela era "um talento excelente e um ser humano maravilhoso".

Laurie chegou a Hollywood em 1949 como Rosetta Jacobs, e rapidamente conseguiu um contrato com a Universal-International, um novo nome que ela odiava e uma série de papéis principais com Ronald Reagan, Rock Hudson e Tony Curtis, entre outros. Ela recebeu indicações ao Oscar por três filmes distintos: o drama de bilhar de 1961, Desafio à Corrupção; a versão cinematográfica do clássico de terror de Stephen King, Carrie, A Estranha, em 1976; e o drama romântico Filhos de um Deus Menor, em 1986. Ela também apareceu em vários papéis aclamados na televisão e no palco, inclusive em Twin Peaks, de David Lynch, na década de 1990, como a vilã Catherine Martell.

Laurie fez sua estreia aos 17 anos em Louisa, interpretando a filha de Reagan, depois apareceu ao lado de Francis, a mula falante, em Francis nas Corridas. Ela fez vários filmes com Curtis, com quem namorou, incluindo O Príncipe que Era Ladrão, Não Há Espaço para o Noivo, Filho de Ali Baba e Johnny Dark. Farta, ela rescindiu seu contrato de US$ 2.000 por semana em 1955, e jurou que não trabalharia novamente, a menos que lhe fosse oferecido um papel decente. Ela se mudou para Nova York, onde encontrou no teatro os papéis que procurava e em dramas de televisão ao vivo. Atuações em Vício Maldito, The Deaf Heart e The Road That Led After trouxeram-lhe indicações ao Emmy e abriram caminho para um retorno ao cinema, inclusive em um aclamado papel como a problemática namorada de Paul Newman em O Traficante.

Publicidade

Clique aqui e receba as notícias do R7 Entretenimento no seu WhatsApp

Compartilhe esta notícia pelo WhatsApp

Publicidade

Compartilhe esta notícia pelo Telegram

Por muitos anos depois, Laurie deu as costas à atuação. Ela se casou com o crítico de cinema Joseph Morgenstern, deu as boas-vindas a uma filha, Ann Grace, e mudou-se para uma casa de fazenda em Woodstock, Nova York. Ela disse mais tarde que o Movimento dos Direitos Civis e a Guerra do Vietnã influenciaram a sua decisão de fazer a mudança. "Fiquei desencantada e procurando uma existência mais significativa para mim", lembrou ela, acrescentando que nunca se arrependeu da mudança. "Minha vida era plena", disse ela em 1990. "Sempre gostei de usar as mãos e sempre pintei."

Publicidade

Laurie também se tornou conhecida como padeira, com suas receitas aparecendo no The New York Times. Sua única atuação naquela época ocorreu quando ela se juntou a uma dúzia de músicos e atores em um tour pelos campi universitários para apoiar a candidatura presidencial do senador George McGovern, em 1972.

Laurie finalmente estava pronta para voltar a atuar quando o diretor Brian De Palma ligou para ela sobre interpretar a mãe perturbada de Sissy Spacek em Carrie. No início ela sentiu que o roteiro era uma porcaria, mas então decidiu que deveria interpretar o papel para rir. Só quando De Palma a repreendeu por dar um toque cômico a uma cena é que ela percebeu que ele pretendia que o filme fosse um thriller. Carrie se tornou um sucesso de bilheteria, lançando uma mania de filmes sobre adolescentes em perigo, e Spacek e Laurie foram indicadas ao Oscar. Seu desejo de atuar reacendeu-se, Laurie retomou uma carreira movimentada que durou décadas.

Na televisão, ela apareceu em séries como Matlock, Murder, She Wrote e Frasier e interpretou a mãe de George Clooney em ER.

Rita Lee, Tony Bennett e Gloria Maria: veja famosos que morreram em 2023

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.