Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

Carol Nakamura defende filho adotivo após ele decidir voltar para mãe biológica: 'Não julguem'

A bailarina disse que o menino e sua família biológica estão sendo atacados em suas redes sociais e pediu mais respeito

Famosos e TV|Do R7

Carol Nakamura disse que, apesar das dificuldades que enfrentou, ainda apoia a adoção
Carol Nakamura disse que, apesar das dificuldades que enfrentou, ainda apoia a adoção Carol Nakamura disse que, apesar das dificuldades que enfrentou, ainda apoia a adoção

Carol Nakamura rebateu, na madrugada desta quarta-feira (1º), algumas críticas que o filho adotivo de 11 anos, Wallace, vem recebendo devido à decisão de voltar a morar com a mãe biológica. A bailarina explicou como funcionou todo o processo de adoção do menino, que morou com ela e o marido, Guilherme Leonel, por três anos, e disse estar muito triste.

Durante o desabafo, a atriz agradeceu o apoio que vem recebendo da grande maioria de seus seguidores, mas disse que uma pequena parcela, cerca de 10%, está criticando o menino e sua família biológica.

"Primeiro: não critiquem o Wallace em hipótese alguma! Independente de ele estar morando comigo ou não, ele continua sendo meu filho na minha cabeça, no meu coração. Ele é um pré-adolescente que não teve educação, não teve regra na infância, então é óbvio que não se acostumou com isso. Por favor, não julguem nunca a atitude dele!", começou ela.

Em seguida, a influenciadora disse que, apesar das dificuldades que enfrentou, continua apoiando o processo de adoção. "Número dois: não sou contra a adoção. Muito pelo contrário! Sou super a favor, independente da minha experiência. Wallace sabe ler, escrever, é inteligente, tem um superpotencial. É frustrante não morar mais com o Wallace, mas é muito gratificante uma criança que chegou sem saber ler, escrever, não estava falando corretamente. Hoje ele sabe ler, escrever, está na escola. Claro que valeu a pena! Eu faria tudo igual. A escolha dele de estar com a família biológica dele... Ele ama a mãe dele, a mãe dele tinha saído de uma internação. Tem o fator regras e disciplina, com que ele nunca tinha lidado. Claro que pesou na decisão dele. A mãe dele é supergrata, reconhece todas as coisas. O momento já é delicado, vocês ainda fazem... mas incomoda", explicou.

Continua após a publicidade

"Adoção é ato de amor, carinho, empatia, compaixão, solidariedade, de Deus. Adoção é a coisa mais linda que pode acontecer na vida, independente da parte difícil. Não quer dizer que eu me arrependa. Só quer dizer que estou triste. Ainda tenho dificuldade de entender, porque não vivi como ele. Minha vida, minha infância foram diferentes, então tenho dificuldade de entendimento. Talvez eu nunca entenda, mas eu aceito."

Por fim, Carol lamentou os comentários de algumas pessoas que dizem que ela "tem uma vida fácil" por ser rica. "Ter que ler numa situação dessa, de tristeza profunda, que eu sou rica, que faço publipost, que pra mim as coisas são fáceis... Por isso que eu conheci uma família e quis fazer alguma coisa. Diferente, provavelmente, da pessoa que escreveu isso. Quer ter opinião? Tudo certo, de boa, mas agora, neste momento, não façam mais isso! Depois, quando eu der uma recuperada, estiver de boa, sem problemas. Muito obrigada pelos 90% de luz, de paz, de sensibilidade, de amor, de carinho que vocês estão me dando. Muito obrigada mesmo!", completou.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.