Logo R7.com
Logo do PlayPlus
R7 Entretenimento – Música, famosos, TV, cinema, séries e mais
Publicidade

'Exigi começar por baixo', diz Mariana Godoy sobre início da carreira na TV

Em 'O Programa de Todos os Programas', a jornalista e âncora do 'Fala Brasil' ainda comentou as coberturas mais desafiadoras

Famosos e TV|Do R7

Mariana Godoy participou de 'O Programa de Todos os Programas' desta terça (8)
Mariana Godoy participou de 'O Programa de Todos os Programas' desta terça (8) Mariana Godoy participou de 'O Programa de Todos os Programas' desta terça (8)

Mariana Godoy conversou com Flávio Ricco e Dani Bavoso em O Programa de Todos os Programas desta terça-feira (8). A jornalista e apresentadora do Fala Brasil, da Record TV,relembrou o início dos 25 anos de carreira e contou que começou muito jovem, aos 19.

Mariana disse que, com pouca experiência no jornalismo, teve a oportunidade de assumir a bancada de um programa como apresentadora, mas, a princípio, negou o convite.

"Eu falei que não queria ser apresentadora. Eu ia começar pelo fim? Eu queria o que era difícil, trabalhoso, queria ir para rua, ser repórter... Eu passei a minha carreira inteira lidando contra essa tendência, de sempre me colocarem como apresentadora", explicou.

"Eu exigi começar por baixo para ter domínio da técnica, para saber do que eu estou falando, para ter uma formação que fosse sólida. Vejo muitas pessoas que só fizeram a bancada e não têm a melhor condição de ir para outros lugares. Você percebe isso em grandes coberturas, quando tiram o apresentador da bancada e botam no lugar do desastre. Aí, você sabe quem sabe ou não fazer", completou. 

Publicidade

Mariana afirmou ainda que, apesar de ter assumido a função de apresentadora, nunca deixou a reportagem de lado e, inclusive, essa é uma de suas paixões.

Durante a entrevista, a jornalista também respondeu a perguntas de internautas e comentou as coberturas mais desafiadoras da carreira.

Publicidade

"Gosto muito de coberturas esportivas e políticas, mas as coberturas de grandes tragédias são as mais pesadas. Quebram a gente por dentro. Você sente a dor física trabalhando, você precisa tirar uns dias de férias e meditação e muita terapia depois."

Assista à entrevista na íntegra.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.