Logo R7.com
Logo do PlayPlus
R7 Entretenimento – Música, famosos, TV, cinema, séries e mais
Publicidade

Influenciadoras que deram banana e macaco de pelúcia para crianças negras serão investigadas

Mãe e filha, Kerollen e Nancy têm milhares de seguidores e são acusadas de cometer racismo

Famosos e TV|Do R7

Kerollen e Nancy serão investigadas por possível crime de racismo
Kerollen e Nancy serão investigadas por possível crime de racismo Kerollen e Nancy serão investigadas por possível crime de racismo

As influenciadoras Kerollen Cunha e Nancy Gonçalves serão investigadas por suposto crime de racismo. As acusações contra a dupla, mãe e filha, começaram após um vídeo em que elas dão uma banana e um macaco de pelúcia a crianças negras viralizar nas redes sociais. A Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância (Decradi) abrirá um inquérito nesta quarta-feira (31) para investigar se as criadoras de conteúdo cometeram discriminação racial.

Nos vídeos, as influenciadoras pedem em tom de deboche às crianças que elas escolham entre ganhar dinheiro e um presente embrulhado. As duas crianças negras decidem ficar com o presente. Uma ganhou uma banana e a outra, um macaco de pelúcia.

• Compartilhe esta notícia no WhatsApp

• Compartilhe esta notícia no Telegram

Publicidade

O caso ganhou visibilidade após a advogada Fayda Belo, especialista em direito antidiscriminatório, comentar a conduta das influenciadoras. Na visão da advogada, a publicação da dupla serviu para "para ridicularizar duas crianças negras. Para incitar essa discriminação perversa que nos tira o status de pessoa e nos animaliza como se fosse piada. Mas não é piada, não. O nome disso é racismo recreativo. Usar da discriminação contra pessoas negras com o intuito de diversão, de descontração, de recreação, agora é crime".

Segundo o portal G1, o inquérito vai investigar se as criadoras de conteúdo cometeram o crime de racismo ou injúria racial e se elas infringiram algum crime definido no ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente).

Publicidade

Kerollen e Nancy têm milhões de seguidores nas redes sociais. São 13 milhões apenas no TikTok e mais de 2 milhões inscritos em um canal no YouTube. Elas se descrevem como mãe e filha que produzem vídeos de humor.

Após serem acusadas de racismo, Kerollen e Nancy apagaram o vídeo das redes sociais. As influenciadoras se pronunciaram por meio de uma nota à imprensa. 

Publicidade

Confira a nota:

Em relação às acusações de racismo feitas contra as influenciadoras Kérollen Cunha e Nancy Gonçalves, a assessoria jurídica, reconhece a seriedade e a importância de tratar o assunto com responsabilidade e diligência.

A assessoria jurídica ressalta que as influenciadoras, estão consternadas com as alegações que foram feitas e repudiam veementemente qualquer forma de discriminação racial. Reforçam ainda, o compromisso em promover a inclusão, diversidade e igualdade em suas plataformas.

Ressaltam que naquele contexto não havia intenção de fazer qualquer referência a temáticas raciais ou a discriminações de minorias.

Nada disso estava em pauta.

Sendo assim, gostariam de se dirigir às pessoas que se sentiram diretamente atingidas, para dizer que não tivemos intenção de as ofender individualmente, nem como gênero, etnia, classe ou categoria a que elas pertençam.

É essencial analisar os fatos de forma justa e imparcial antes de tirar qualquer conclusão. As publicações em questão foram retiradas de contexto e interpretadas de maneira distorcida. As influenciadoras não tiveram a intenção de promover o racismo ou ofender qualquer indivíduo ou grupo étnico.

Importante considerar também a reputação e a trajetória profissional das influenciadoras. Elas têm sido defensoras ativas da igualdade racial e vem trabalhando para aumentar a conscientização sobre questões relacionadas à discriminação e inclusão.

Ao longo de suas carreiras, Kérollen e Nancy têm colaborado com organizações que promovem a diversidade e se envolvido em projetos sociais voltados para a inclusão de minorias.

A dupla reforça que em uma sociedade democrática, todos têm o direito à liberdade de expressão. No entanto, esse direito não deve ser utilizado como um escudo para o discurso de ódio ou promover a discriminação. As influenciadoras, estão cientes dessa responsabilidade e se comprometem a aprender com esse episódio, aprofundar o aprendizado em questões raciais e a refletir sobre o impacto de suas afirmações.

Diante desses pontos, pedimos que a justiça seja feita e que todas as partes envolvidas tenham a oportunidade de apresentar seus argumentos de maneira igual. A dupla vai cooperar plenamente com qualquer investigação conduzida pelas autoridades competentes, fornecendo todas as informações necessárias para esclarecer os fatos e preservar o direito das pessoas que se sentiram atingidas.

Kérollen Cunha e Nancy Gonçalves estão à disposição para dialogar com as partes afetadas, organizações de defesa dos direitos humanos e demais envolvidos.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.