Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Estante da Vivi
Publicidade

Bienal do Rio bate recordes com mais de 600 mil visitantes e 5,5 milhões de livros vendidos

Com média de 9 livros comercializados por pessoa e gasto médio de R$ 200 por visitante, evento contou com quase 500 editoras 

Estante da Vivi|Do R7

Multidão se aglomera na Praça dos Autógrafos, na Bienal do Rio
Multidão se aglomera na Praça dos Autógrafos, na Bienal do Rio Multidão se aglomera na Praça dos Autógrafos, na Bienal do Rio

No ano em que completa quatro décadas de existência, a Bienal do Livro do Rio bateu o recorde de 600 mil vistantes durante os dez dias de evento, no Riocentro, na Barra da Tijuca. O número exato de público ainda será divulgado pela GL events Exhibitions, reponsável pela feira ao lado do Sindicato Nacional dos Editores de Livros (SNEL).

Ao todo, 5,5 milhões de livros de 500 editoras foram comercializados, o que corresponde uma média de 9 livros por visitante, que desembolsou, em média, R$ 200. Com esses dados, a Bienal do Rio é hoje o maior festival de literatura, cultura e entretenimento do país.

· Compartilhe esta notícia no Whatsapp

· Compartilhe esta notícia no Telegram

Publicidade

“Esta é a maior Bienal de todos os tempos. A intenção era que a cidade se apropriasse da Bienal e isso realmente aconteceu. Tradicionalmente, recebemos um número maior de visitantes aos fins de semana e quando há feriados, mas a distribuição de público foi muito bem equilibrada, inclusive nos dias de semana e em dias lindos de sol. Nem a praia conseguiu competir!”, diz Tatiana Zaccaro, diretora da GL events Exhibitions.

"Estamos falando do livro como ponto de partida ou chegada, porque os assuntos tratados no livro físico também viram séries, filmes, games, música, e isso garante que as histórias possam atrair mais pessoas formando novos leitores, já que o livro é sempre o protagonista”, completa.

Publicidade

Para o presidente do SNEL, Dante Cid, os resultados desta edição superaram as previsões do mercado. O editor ainda celebra os bons números do programa de visitação escolar.

“Com o apoio das secretarias de educação estadual e municipais alcançamos um recorde de participação de alunos e professores da rede pública, reforçando a criação desta semente pela leitura que o país tanto precisa, impactando diretamente mais de 100 mil alunos, professores, suas bibliotecas e salas de leitura”, afirma Dante.

Publicidade

Editoras comemoram

Pela primeira vez, a Cia. das Letras atingiu a marca de 100 mil livros vendidos. O primeiro lugar ficou com O Mar me Levou a Você, novo livro de Pedro Rhuas.

A Sexante registrou um aumento de 140% nas vendas, com 60 mil exemplares comercializados. O primeiro e o segundo títulos mais vendidos são da neurocientista italiana Ali Hazelwood: A Hipótese do Amor e Amor, Teoricamente.

Já no primeiro final de semana a Intrínseca teve crescimento de 100% em relação à Bienal anterior, com destaque para Melhor do que nos Filmes, de Lynn Painter.

Tudo É Rio, de Carla Madeira, e O Amor Não É Óbvio, de Elayne Baeta, foram o principais nacionais vendidos pelo Grupo Record.

VEJA MAIS: De Nárnia a Macondo, estandes da Bienal do Rio apostam em cenários temáticos para viralizar na internet

" gallery_id="64f20d521df97b603700078a" url_iframe_gallery="entretenimento.r7.com/prisma/estante-da-vivi/bienal-do-rio-bate-recordes-com-mais-de-600-mil-visitantes-e-55-milhoes-de-livros-vendidos-11092023"]

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.