Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Odair Braz Jr - Blogs
Publicidade

Roberto Carlos canta em SP sua versão de 'Evidências', que supera de longe a de Chitãozinho e Xororó

Cantor tocou para casa lotada de fãs ardorosos e apresentou vários de seus muitos clássicos insuperáveis

Odair Braz Jr|Do R7

Roberto Carlos no início de seu show, nesta quinta-feira à noite, em São Paulo
Roberto Carlos no início de seu show, nesta quinta-feira à noite, em São Paulo Roberto Carlos no início de seu show, nesta quinta-feira à noite, em São Paulo

Todo mundo sabe que show de Roberto Carlos é quase sempre o mesmo, e não foi muito diferente na noite desta quinta-feira (26), em São Paulo. Metódico, o cantor faz poucas mudanças em suas apresentações — e o público não reclama nem um pouco, diga-se —, mas esta atual turnê tem uma novidade interessante, que é sua versão de Evidências, que supera de longe a da dupla Chitãozinho e Xororó.

A música é a 12ª de um show no Espaço Unimed, zona oeste paulistana, que começou às 21h20 com apenas a banda — sempre ótima — no palco tocando uma versão instrumental de Como É Grande o Meu Amor por Você. Roberto, vestido com o tradicional terno azul, surge uns três minutos depois, sob aplausos e gritos do público, composto de muita gente acima dos 60 anos. Normal, Roberto está com 82. Como sempre acontece, ele abriu a apresentação com Emoções.

Depois de agradecer ao público — “vejo vocês já há tanto tempo” —, o cantor vai mostrando seus clássicos de todas as eras, um após o outro: Como Vai Você, Além do Horizonte, Ilegal, Imoral ou Engorda. Envolto por belas luzes de cores sóbrias, Roberto se senta num banquinho e canta a sempre emocionante Detalhes, clássico insuperável composto em parceria com Erasmo Carlos.

Apesar de zero novidade até aqui, o show continua encantando os fãs com vários outros sucessos, como Outra Vez, O Calhambeque (canção mais antiga do show, de 1964), Lady Laura e Sua Estupidez.

Publicidade

Chega então a vez de Evidências, hit composto pelo também cantor José Augusto — dono de muitos sucessos nos anos 1980 e 1990 — e por Paulo Sérgio Valle e que Roberto gravou e lançou no fim de 2022. Antes de começar, o cantor diz: "Eu também tive vontade de gravar esta música", e dá para entender bem o porquê. É impressionante como a canção se adapta perfeitamente ao rei da música popular brasileira. A combinação é tamanha que dá para dizer que a interpretação de Roberto supera de longe a de Chitãozinho e Xororó, que decidiram recentemente que Evidências é criação deles.

Cantor e as rosas para seus fãs
Cantor e as rosas para seus fãs Cantor e as rosas para seus fãs

Claro, não há comparação possível aqui, já que Roberto é ainda um cantor exímio e acrescenta um bom gosto inexistente na versão dos irmãos sertanejos. Há até um solo de guitarra muito bom, que põe a canção em outro patamar. Ao vivo, Evidências de Roberto é ainda melhor que a de estúdio. A música é mesmo a grande novidade nos shows do rei e faz valer o dinheiro gasto no ingresso.

Publicidade

Mas ainda existe vida na apresentação de Roberto após a canção de José Augusto. Ele apresenta a banda, cita o clássico roqueiro A-Wop-Bop-a-Loo-Bop, de Little Richard, e continua com Esse Cara Sou Eu (seu último grande hit) e Amigo (em homenagem a Erasmo) e termina com Jesus Cristo.

Nesta última música, a frente do palco já está tomada por fãs que saíram das cadeiras para se preparar para o arremesso de rosas que o cantor sempre faz no fim de seus shows. E, claro, virou um grande "pega pra capar", mas não teve bronca desta vez, como aconteceu no ano passado, no Rio de Janeiro. Ainda bem.

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.