Logo R7.com
Logo do PlayPlus
R7 Entretenimento – Música, famosos, TV, cinema, séries e mais
Publicidade

Laryssa Dias revela que foi vítima de violência doméstica de ex-namorado

Atriz quer "ajudar outras pessoas" que passam por situações similares 

Famosos e TV|Do R7


Laryssa Dias revela caso que aconteceu dez anos atrás
Laryssa Dias revela caso que aconteceu dez anos atrás

Laryssa Dias viveu um relacionamento abusivo durante as filmagens da novela Salve Jorge, transmitida entre 2012 e 2013, e se tornou vítima de violência doméstica. Em um relato comovente ao Estadão, ela disse que o namoro tóxico afetou seu trabalho e até hoje não soube como conseguiu terminar a trama, que demandava "muita atenção".

Seu objetivo com a entrevista era ter um alcance maior para "ajudar outras pessoas" em situações similares.

"Eu estava em um momento muito gostoso de trabalho, de conquistas e tudo mais, porque filmava a minha primeira teledramaturgia. Mas, no relacionamento, senti movimentos de competição e de inveja de quem deveria ser meu companheiro e aliado", conta Laryssa.

O comentário diz respeito a um homem que ela conheceu por meio de amigos em comum e que seria seu primeiro namorado sério. Sem um histórico familiar de violência doméstica, seja ela física ou psicológica, e com pais amorosos, Laryssa se viu vítima de uma pessoa manipuladora, mentirosa e agressiva por cerca de um ano e meio entre idas e vindas.

Publicidade

O início da relação

No começo do namoro, tudo era maravilhoso, conta ela. Aos 39 anos, quando olha para trás, a atriz reconhece alguns sinais de abuso logo no início da relação. Porém, no auge dos seus 28 ela não percebia, o que foi, segundo a artista, por falta de amor-próprio, confiança, autoconhecimento e consciência.

Publicidade

"Quando olho hoje para aquela Laryssa, para aquela relação e para aquela situação que já tem quase 10 anos, vejo claramente que tinham vários indícios de abuso. Mas, é tudo muito confuso quando é você quem está dentro do relacionamento", relembra ela sobre o início da relação.

Aos poucos, seu parceiro demonstrou comportamentos obsessivos e abusivos. Entre outros sinais, Laryssa percebeu que a culpa se tornava dela mesmo quando era ele o equivocado da discussão. A artista destacou uma história específica e simples em que ele tentou exercer controle sobre ela.

Publicidade

Um dia, Laryssa escutou o interfone do apartamento tocar, mas seu parceiro jurou que ela ouvira errado. A atriz entrou no banho questionando se o fato acontecera, e telefonou para uma amiga de longa data para conversar sobre a situação. "Amiga, eu não estou louca. Eu sei o que ouvi", confidenciava a artista na época.

Agressão física e o final da relação

Além dos insultos e manipulações, o silêncio também se tornou uma forma de punição. Na entrevista pelo Zoom, foi possível perceber que relembrar dos sumiços do parceiro e da agonia daquela época ainda angustiava Laryssa. Uma sensação que volta quase à tona conforme ela recria, lentamente, os acontecimentos de 10 anos atrás. "Não sei se é uma autodefesa", pensa ela sobre a dificuldade de recordar.

Conforme a atriz relembra, ela chega no ponto final do relacionamento desaprovado pela família e amigos: o momento da agressão física no carro. Em um namoro muito desgastado, os dois desceram pelo elevador até a garagem do prédio onde estavam. Antes de saírem do condomínio, entraram no veículo e discutiram por um motivo o qual não se recorda. "Já tínhamos tido brigas piores do que aquela", pontua.

Em um determinado momento, seu parceiro usou as duas mãos para enforcá-la por alguns segundos no banco. A atriz, hoje em dia, entende a atitude como uma tentativa de assustá-la e deixá-la com medo. Um dos objetivos dele seria fazer com que ela parasse de questioná-lo.

Em seguida, o namorado saiu do carro, pegou sua moto e foi embora. Sozinha, ela ficara em choque com o ocorrido. "Eu mesma não queria acreditar", relembra a atriz, emocionada, antes de falar sobre a vergonha e a culpa que sentira. Por muito tempo, as sensações a impediram de contar para alguém sobre o perigo pelo qual passara. Na época, ela pensou que a agressão não fora "nada demais".

O seu ex-companheiro tentou contato após o ocorrido, mas a artista o bloqueou em todas as plataformas e não atendeu mais suas ligações. Ainda na entrevista, Laryssa reafirmou o motivo pelo qual contou a sua história ao Estadão. "Penso na Laryssa de 10 anos atrás e como seria se eu ouvisse uma atriz, formadora de opinião, influenciadora falando sobre isso. Seria importante", disse.

'Meu Deus, como eu me permiti?'

A violência contra a mulher e o feminicídio ainda são temas muito presentes no Brasil. Segundo dados da Rede Observatório de Segurança, em 2021, os números gerais revelaram um pequeno aumento de 8% nos casos em relação a 2020. A pesquisa ainda registrou um caso de feminicídio a cada 12 horas no ano passado.

Aflita com essa realidade e com as notícias que vê do Brasil, Laryssa foi parte da estatística de violência contra mulher entre 2012 e 2013. Hoje em dia, ela evita se prender ao passado e busca destacar aprendizados da experiência. Desde então, aprendeu impor limites e reconhecer sinais de abuso em um relacionamento. "A gente se sente tão empoderada e dona de si quando diz 'não'", conta a atriz, que buscou ajuda profissional, familiar, espiritual e nas amizades para superar o namoro e se amar.

A solução para se afastar de relações abusivas, para ela, percorre esse caminho: construir confiança, criar amor-próprio, dizer "não" e buscar autoconhecimento. Esse passo a passo é necessário para entender qual vínculo afetivo faz sentido.

"Quanto mais você se apropria de quem você é, gosta de quem você é, cuida de você e aprende a se olhar e se respeitar, menos você vai se machucar, menos você vai se permitir, menos tempo você vai ficar em uma relação assim", finaliza ela.

Ainda assim, Laryssa garantiu que ainda conhece e se associa com pessoas abusivas. O importante agora, porém, foi aprender a perceber, se defender, se amar e entender quando uma relação deve chegar ao fim. Isso, diz ela, é o que deseja para todas as pessoas em situações similares.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.