Logo R7.com
Logo do PlayPlus
RPet
Publicidade

Lamber constantemente as patas pode indicar ferimentos ou até problemas emocionais dos cães

O hábito se assemelha ao 'roer as unhas' dos humanos, ou indica que algo está errado com o cachorro

RPet|Do R7


Cachorro lambendo as patas frequentemente pode ser sinal de que algo está errado
Cachorro lambendo as patas frequentemente pode ser sinal de que algo está errado

Lamber as patas constantemente, apesar de parecer um comportamento comum nos cachorros, pode ser sinal que algo não vai bem com o pet. Em casos em que o gesto é muito frequente, há a possibilidade de incômodos físicos ou até problemas emocionais, assim como alguns humanos tem o hábito de 'roer as unhas' quando estão apreensivos.

Em conversa com o RPet, a veterinária Carla Berl, fundadora da rede Pet Care, avisa que é sempre bom o tutor ficar atento aos 'pezinhos' de seu animal. "Ao pisar, ele se incomoda? Ele lambe também as almofadinhas das patas? Pode ser que tenha algo machucando, como uma pedrinha, uma farpa ou, até mesmo, um caco de vidro. Se for isso, uma boa limpeza e, talvez, um curativo simples devem resolver o problema", ensina.

Compartilhe esta notícia no WhatsApp

Compartilhe esta notícia no Telegram

Publicidade

Em certas situações, os motivos podem ser mais 'profundos', como tristeza, ansiedade ou estresse. "O cachorro pode ter desenvolvido a mania de lamber as patinhas por uma questão emocional. Será que ele fica muito tempo sozinho? Tem espaço suficiente? Não está se exercitando e tem muita energia pra gastar? Sabe quando você está balançando as pernas, preocupado com alguma coisa, ou quando rói as unhas de nervoso? Lamber as patinhas pode ser algo parecido para eles, uma vez que os cães também externalizam suas emoções", explica Carla.

Para ajudar o cachorro, é necessário dar a ele estímulos físicos e mentais. "Procure passar mais tempo com seu pet. Dê carinho, atenção, brinque de jogar bolinha e saia para passear ao ar livre. Brinquedos mordedores são ótimos porque canalizam a tensão neles. A atividade física é fundamental para a qualidade de vida de todos os seres", diz a veterinária.

Publicidade

Cuidado com queimaduras em passeios

Areia ou asfalto muito quente podem queimar a pata do cachorro
Areia ou asfalto muito quente podem queimar a pata do cachorro

Outro fato que pode fazer os cachorros lamberem suas patas é a tentativa de aliviar uma queimadura que ocorreu durante um passeio na rua, em um dia de muito calor. "O pior é que os ferimentos de uma almofada da pata, chamadas de coxins, são difíceis de tratar. Cortes, queimaduras, descolamento da pele, bolhas e feridas são propensos a infecções e a cicatrização é lenta, devido à constante pressão colocada na pata quando o cão anda ou simplesmente fica em pé", adverte Carla.

"Lembre-se de passear com o seu melhor amigo apenas nas horas frescas do dia, de manhã cedinho e ao anoitecer. Se estiver em dúvida sobre a temperatura, coloque a palma da mão no chão, ou na areia, se estiver na praia, antes do passeio. É como se você estivesse andando descalço no asfalto. Se estiver quente pra você, certamente estará quente para ele", complementa.

Publicidade

Atenção a pisos muito macios ou com produtos de limpeza

Cachorros que só andam em chão muito liso podem ficar com as patas mais sensíveis
Cachorros que só andam em chão muito liso podem ficar com as patas mais sensíveis

A veterinária ainda diz que é bom acostumar os animais a andarem em pisos mais ásperos — não quentes. "Isso ajudará a endurecer as almofadas das patas de um cão, promovendo a formação de uma pele mais grossa e menos sensível a queimaduras e abrasão. Os cães que andam somente em piso liso e macio, como tapetes, terão almofadinhas mais sensíveis e finas, exigindo cortes de unhas frequentes", diz.

Outra queimadura comum em cães é a provocada por agentes químicos, como a creolina ou o cloro, quando usados para lavar o chão. "Não deixar o cachorro pisar no chão molhado quando usar esses produtos, que podem ser altamente tóxicos para eles, é um cuidado a ser tomado", alerta Carla.

Pulgas, carrapatos e fungos

Pulgas, carrapatos e fungos podem afetar os cães
Pulgas, carrapatos e fungos podem afetar os cães

Pulgas, carrapatos e fungos podem causar coceira e desencadear o lambe-lambe dos cachorros nas patas. "Além de irritar o cachorro com picadas, os parasitas podem causar vários problemas de saúde para ele e para o tutor, como a dermatite alérgica à picada de pulga (DAPP), doenças bacterianas, e até tênia, já que os cães podem ingerir acidentalmente pulgas infectadas por esse verme", enumera Carla.

"Felizmente, os tutores de cães podem escolher de uma ampla variedade de produtos eficazes contra pulgas para proteger seus pets e sua casa dessas pragas tão persistentes", tranquiliza.

Já os carrapatos podem transmitir infecções aos cachorros, como babesiose (pelos protozoários do gênero Babesia) e doença de Lyme, que pode causar perda de apetite, febre, deixar o animal mancando, e inchaço nas articulações e nos gânglios linfáticos.

" O preocupante é que os humanos também podem contrair a doença de Lyme por meio da picada de um carrapato infectado, com consequências potencialmente graves. Existem várias maneiras de proteger seu cachorro contra eles, inclusive tratamentos tópicos, comprimidos e coleiras", comenta a veterinária.

VEJA TAMBÉM: Tapete higiênico, britas, grama sintética e mais: 7 sugestões de banheiros para cachorros

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.