Logo R7.com
Logo do PlayPlus
RPet
Publicidade

Estudo surpreendente revela que gatos e outras espécies brilham no escuro

Estudos anteriores já haviam identificado a fluorescência em pássaros, répteis, corais, moluscos e outros animais

RPet|Do R7

Um estudo australiano revelou que a fluorescência é comum em gatos e outros felinos
Um estudo australiano revelou que a fluorescência é comum em gatos e outros felinos Um estudo australiano revelou que a fluorescência é comum em gatos e outros felinos

Um estudo australiano revelou que a fluorescência, um fenômeno de brilho sob luz ultravioleta (UV), é comum em mamíferos, incluindo gatos domésticos e uma ampla variedade de espécies. Essa realidade foi vista em 125 animais, abrangendo morcegos, coalas, zebras, toupeiras, ursos polares e golfinhos. Isso sugere que esse fenômeno pode desempenhar papel importante na visão noturna e na comunicação entre animais.

Estudos anteriores já haviam identificado a fluorescência em pássaros, répteis, corais, moluscos e outros bichos. A pesquisa, liderada pelo dr. Kenny J. Travouillon, paleontólogo do Museu da Austrália Ocidental, publicada na revista Royal Society Open Science, demonstra que quase todos os mamíferos analisados mostraram algum grau do fenômeno, principalmente em áreas de pele e pelo não pigmentados.

"É provavelmente o status padrão do cabelo, a menos que seja fortemente pigmentado. A fluorescência pode ter evoluído nos animais como uma função biológica útil, como para comunicações de espécies noturnas, embora isso não seja certo, ou pode ser apenas uma condição das propriedades estruturais do cabelo não pigmentado", teorizou o profissional ao The conversation.

Clique aqui e receba as notícias do R7 no seu WhatsApp

Publicidade

Compartilhe esta notícia no WhatsApp

Compartilhe esta notícia no Telegram

Publicidade

A análise utilizou espécies preservadas em museus e parques de vida selvagem, inicialmente focando no ornitorrinco, que revelou fluorescência sob luz UV. A técnica de espectroscopia de fluorescência confirmou essas observações em outros mamíferos, incluindo coalas, diabos da Tasmânia e gatos domésticos, por exemplo.

"Fotografamos espécimes de ornitorrincos preservados e congelados sob luz ultravioleta e observamos um brilho fluorescente (embora bastante fraco)", contou o paleontólogo.

Publicidade
125 espécies de mamíferos apresentam fluorescência
125 espécies de mamíferos apresentam fluorescência 125 espécies de mamíferos apresentam fluorescência

Apesar do estudo ter se baseado em animais preservados por um longo período, sugere-se que pesquisas futuras se concentrem em animais recém-mortos ou vivos para entender melhor a extensão desse fenômeno e suas implicações na biologia dessas espécies.

Isso pode ser particularmente importante para animais com pelagens padronizadas, usadas para comunicação visual e camuflagem, e também com estilos de vida especializados.

VEJA TAMBÉM: De tigres a tarântulas: veja imagens da pesagem anual de animais do Zoológico de Londres

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.